Conselhos para pais que querem ajudar os filhos a ser os melhores alunos

Descomplique a arte de estudar. Para que o seu filho seja bem-sucedido na escola, tem de ser, acima de tudo, é feliz. O professor Jorge Rio Cardoso explica como o pode auxiliar.

Boy listening to MP3 player while doing homework

O início de cada ano letivo traz uma repetida preocupação aos pais. Uma preocupação que se prolonga ao longo dos meses seguintes. Como motivar os nossos filhos para o estudo? E o que devem eles fazer para serem bem-sucedidos na escola? Jorge Rio Cardoso, professor do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa, responde a estas questões no livro «Este Ano Vais Ser o Melhor Aluno! Bora Lá?», lançado pela editora Guerra & Paz.

Nele descomplica a arte de estudar, partilhando técnicas de estudo que ajudam as crianças a compreender e a aprender. Em entrevista à revista Prevenir,  o autor ensina-nos a motivar os nossos filhos para a escola, identifica as principais origens dos maus resultados e apresenta soluções. Veja também a galeria de imagens com os produtos naturais a que pode recorrer para aumentar a capacidade de concentração e o poder de memorização do seu filho.

Conta nos seus livros que, até aos 13 anos, não sabia estudar. Em que momento se deu a viragem e como passou a ser um bom aluno?

Esse clique deu-se muito por culpa do desporto, no caso, o atletismo. Sem me aperceber, ganhei uma série de competências, nomeadamente em termos de regras, de autoconfiança, de valorização do esforço e de sentido de gratificação. Tanto na escola como no atletismo, comecei a perceber que não era o melhor e que só investindo em mim poderia melhorar e até procurar a excelência, depois de ultrapassar uma série de pormenores.

Quais são os primeiros passos que qualquer pai deve dar para motivar o seu filho para um novo ano escolar?

Mais do que motivar os filhos para o estudo, os pais devem alargar essa motivação para a vida e tentar que os filhos sejam felizes, pois sem felicidade não há motivação, boas notas ou uma formação assertiva. Para isso ajuda, por exemplo, identificar a paixão dos filhos, seja o desporto, a música, o teatro, a dança ou outra, para depois transferir as regras dessas atividades para o universo do estudo, da escola.

Muitas vezes, as crianças e jovens não sabem estudar, não têm foco, sendo essencial procurar uma programação do estudo, principalmente no caso de alunos do primeiro, do segundo e do terceiro ciclo. Se se souber o que se vai fazer antes de começar a estudar, sabe-se o que ler ou que resumo fazer.

Quais os maiores erros que os pais, inadvertidamente, cometem, acabando por desmotivar as crianças para a escola?

Um erro comum prende-se com o facto de alguns pais se sobreporem ao professor na tentativa de os filhos melhorarem as notas, insistindo que a criança estude mais uma determinada matéria. Isso revela desrespeito pelo professor, desacredita a escola enquanto sistema e pode mesmo fazer crescer na criança uma sensação de que as notas menos positivas sejam mais da responsabilidade do docente que nem sabe o que é a matéria ou a disciplina mais importante.

Outro processo negativo é alimentar as pesquisas na internet. Devemos, sim, direcionar essa busca para outros ambientes, pois senão dá-se a entender que as soluções estão no Google e que não é necessário esforçar-se muito. Só assim se fomenta o ato de saber pensar, de encontrar soluções, de cruzar fontes e de criar um pensamento crítico.

Veja na página seguinte: As frases que devemos dizer para motivar os nossos filhos

Comentários