Conheça o lado positivo dos filhos únicos

Estudos contrariam a ideia de que existem desvantagens na criança não ter irmãos. Aos pais cabe não querer compensá-lo por ser filho único, pois na verdade todos os filhos o são.

É comum a tendência de descrever o filho único essencialmente pela negativa. Por outro lado, alguns estudos veem contrariar esta ideia, como explica Teresa Abreu, psicóloga clínica.

Pela maior atenção e estimulação com que cresce, o filho único pode ser uma criança:

- Mais segura de si, detentora de boa autoestima
- Independente
- Criativa
- Ter maior maturidade
- Ter capacidade intelectual
- Assumir capacidade de liderança
- Ter desenvolvimento linguístico

Os pais não devem tentar compensá-lo continuamente por ser filho único, pois todos os filhos o são, reforça a psicóloga clínica. Segundo Teresa Abreu, aos pais cabe a tarefa de:

- Facilitar ao filho momentos de partilha e integração com outras crianças
- Estimularem-no a participar em atividades desportivas e lúdicas – sobretudo coletivos – fora do controlo e da sua superproteção
- Definir de forma clara os limites de acordo com a idade e desenvolvimento da criança
- Incentivar o filho a perseguir os seus objetivos e a experimentar as suas competências
- Ensinar o filho a aprender com os fracassos e regozijar-se com os seus sucessos, o que requer apreciá-los pela coragem e aceitá-los e respeitá-los com os seus limites ou "defeitos".

Texto de Ana Margarida Marques

Siga este e outros temas sobre educação, saúde e cuidados ao bebé no Facebook O Nosso Bebé

artigo do parceiro:

Comentários