Cinco estrelas com vista para a avenida

É um dos mais conhecidos hotéis da segunda maior cidade russa. O Corinthia Hotel St Petersburg resulta da unificação de dois edifícios históricos. Jane Fonda e Sting já lá dormiram

O processo de renovação, a partir da reconstrução de dois majestosos edifícios do século XIX, valeu-lhe prémios e o interior opulento, decorado com peças de arte numa linha de luxo contemporâneo de inspiração art deco, têm-lhe rendido elogios. Localizado em plena Nevsky Prospekt, a artéria comercial mais dinâmica e animada de São Petersburgo, a segunda maior cidade da Rússia e a quarta maior da Europa, o Corinthia Hotel St Petersburg é uma unidade hoteleira com 388 quartos confortáveis e elegantes, incluindo 107 habitações de uma categoria superior. Foi inaugurado em 1993 mas os últimos 22 anos não se fazem notar.

Hoje, alberga a maior sala de conferências de cinco estrelas da cidade e é um dos hotéis mais (re)conhecidos da terra onde reinou e morreu Catarina, a grande, uma das mais conhecidas imperatrizes russas. Os prédios que lhe deram origem não têm uma longa história. Ainda assim, foi lá, no mais pequeno, que em tempos morou uma família muito rica de atores locais. É por essa razão que a fachada principal do edifício, na posse da empresa que gere as unidades hoteleiras da rede Corinthia desde 2002, integra a lista do património arquitetónico protegido do país.

Inicialmente, os tetos eram mais baixos mas, com a chegada dos novos donos, a situação mudou. Em 2010, a ala executiva do hotel foi renovada e a área comercial, que inclui várias lojas, alargada. Nos últimos meses de 2014, 281 quartos sofreram novas obras de modernização. O projeto de restruturação, que se estende por 2015, implica um investimento que ronda os 30 milhões de euros. É já o segundo, depois de um primeiro que arrancou em finais de 2009, naquele que é um dos primeiros hotéis de cinco estrelas da cidade gerido por um grupo internacional, de origem maltesa, que em Portugal detém o Corinthia Hotel Lisbon.

Edifício do hotel pertenceu a família de atores

O Corinthia Hotel St Petersburg é um dos 16 hotéis de cinco estrelas de São Petersburgo, uma cidade que conta apenas com cerca de 50 unidades hoteleiras tradicionais. As restantes são mini hotéis, casas de acolhimento que muitas vezes não têm mais de meia dúzia de quartos. Nos últimos anos, o hotel adotou um posicionamento ambicioso para atrair uma clientela com um maior grau de sofisticação. «Somos muito conhecidos e tentamos manter os nossos standards de exigência», assegura Natalia Belik, diretora de relações públicas do hotel, durante uma visita exclusiva.

Além dos quartos, confortáveis e luxuosos, o hotel dispõe de um restaurante, de uma cafetaria, de uma área de lounge e de um bar, de 15 salas de conferência que podem ser adaptadas e que podem acolher entre 40 e 1.000 pessoas, de um centro de fitness, de um solário e de um terraço exterior com vistas surpreendentes. Metade dos hóspedes são homens de negócios com pouca disponibilidade mas os restantes são turistas que não perdem a oportunidade de visitar, gratuitamente, o museu dedicado à família Samoilov, a famosa dinastia teatral que viveu no segundo andar do edifício entre 1869 e 1887.

Gerido por uma entidade independente, a pequena estrutura museológica homenageia o ballet russo, um dos mais reconhecidos a nível mundial. «Há muitos museus memoriais em São Petersburgo que são dedicados a figuras históricas mas, num hotel, este é o único», assegura Natalia Belik. «Na cidade existem cerca de 250 museus e um deles está aqui», desabafa. Em tempos idos, a residência de Vasily Samoilov foi frequentada pela fina flor do teatro, da música, da arte e da literatura local. Das janelas do Restaurante Imperial, onde são hoje servidos deliciosos e variados pequenos-almoços, avista-se um deslumbrante palácio, sede do clube de atores da cidade, um espaço cosmopolita que também merece uma visita.

Veja na página seguinte: O preço do luxo e da privacidade

Comentários