Novos dispositivos digitais monitorizam atividade de cães e gatos

As coleiras que recolhem e transmitem dados são uma novidade tecnológica que está a ganhar terreno. Muitas permitem ver que os animais se mexem… pouco!

Os cães são os animais de estimação preferidos dos portugueses. Por isso, perguntámos a Pedro Moleiro, treinador de obediência e comportamento canino do Hostel Dogs & Cats, o que deve ter em conta quando se escolhe o dito melhor amigo do homem. «O essencial é que percebam que um cão precisa de tempo e de muito estímulo», diz. O especialista não vê qualquer problema em que os cães vivam em apartamentos, mas realça que fazer um passeio de manhã e outro à tarde não é suficiente.

«A maioria dos problemas comportamentais dos cães que treino é provocada pela falta de ocupação, mesmo nos que têm um quintal», esclarece. O treinador, que sugere um reforço da atividade animal, afirma que o estímulo mental é muito importante, pois «os cães têm uma plasticidade mental muito grande». Os treinos que faz assentam nesse estímulo, mas em casa os donos também podem fazer pequenos exercícios.

«Com uma simples caixa de cartão, podemos ensinar o cão a colocar as patas e o nariz em cima da caixa, saltar para cima da caixa, passar através da caixa, ou então a abrir e fechar portas e gavetas e até a acender a luz», exemplifica. Uma relação saudável entre animal e dono é o mais importante na educação do cão. «Para que os cães tenham o comportamento que queremos, os donos devem trabalhar através da motivação e do reforço positivo, evitando sempre as técnicas punitivas», remata.

O que fazem os novos gadgets

No estrangeiro, os gadgets que monitorizam a atividade física de cães e gatos não param de surpreender. Um grupo de veterinários britânicos criou a Felcana, uma coleira que parametriza a quantidade de exercício que os animais fazem, além da quantidade de comida e de bebida que ingerem e do número de horas que dormem. A ideia é antever e prevenir alguns dos principais problemas de saúde das mascotes.

«Com a crescente humanização de cães e gatos, não é surpreendente que o fenómeno da monitorização também tenha chegado ao mundo animal», afirma o jornalista Pete Wedderburn, que já investigou o assunto. Alguns dos novos dispositivos incluem GPS, medem a temperatura corporal do animal e estão ligados a aplicações móveis. Muitos deles recolhem dados que podem ser analisados e usados pelos veterinários que acompanham os animais.

Veja na página seguinte: Maus-tratos punidos desde 2014

Comentários