8 dicas de ‘networking’ para tímidos

Um bom currículo, boa formação académica e profissional são ferramentas imprescindíveis para ascender na carreira. Mas tão ou mais importante é ter uma rede de contactos eficaz

Um bom currículo, boa formação académica e profissional são ferramentas imprescindíveis para quem quer ascender na carreira. No entanto, tão ou mais importante do que estes fatores é ter uma rede de contactos eficaz. O ‘networking’ é uma poderosa ferramenta para quem quer entrar no mercado do trabalho ou para quem deseja avançar na empresa. Para ter uma boa rede de contactos é necessário ser eficiente nos relacionamentos interpessoais, no entanto, esta é uma aptidão que nem todos têm, mas que pode ser trabalhada.

Para os tímidos, o ‘networking’ pode ser uma atividade extremamente intimidatória e stressante, especialmente se não está habituado a conversar com desconhecidos em eventos, palestras ou reuniões. O constrangimento pode levar a que cometa alguns erros, que podem sair caros e deixar os outros com uma ideia errada de si, como falar na hora errada, dizer algo que não deve, perder oportunidades de brilhar, parecer arrogante, artificial ou falar demais. Se está prestes a ir a um evento importante para a sua carreira, preparar-se é a palavra-chave. Conheça alguns truques para tornar o ‘networking’ menos penoso. Leia o texto Como utilizar o 'networking' para encontrar emprego

1. Prepare-se e pratique

Deve evitar ficar num canto à espera que outra pessoa venha falar consigo. Tomar a iniciativa é imperativo, porém, muitas vezes é contranatura, por isso mesmo é necessário treinar. Quem é tímido por natureza é natural que tenha medo de ficar sem palavras numa situação social e expor-se ao ridículo. Para evitar isso, pense em algumas perguntas que pode fazer para “quebrar o gelo”, principalmente que estejam relacionadas com trabalho. Prepare o seu ‘pitch’ pessoal, antecipe algumas perguntas que lhe possam ser feitas e ensaie respostas. Assim não será apanhado desprevenido, nem ficará a gaguejar perante algumas conversas. Leia o textoOito dicas para fintar a timidez numa entrevista de emprego

2. Faça a sua história

É importante que seja capaz de criar a sua história e que faça os outros acreditar que vale a pena conhecê-lo. Se os seus pontos fortes não lhe ocorrem imediatamente, continue a pensar. Todas as pessoas têm pontos de interesse e deverá perder algum tempo a refletir sobre isso. Se não sabe por onde começar, faça a sim mesmo as seguintes perguntas: O que faço eu de interessante que poucas pessoas façam? O que é que as pessoas acham interessante sobre mim? Ou, o que posso fazer para ficar na lembrança dos outros? Leia o texto: Pitch: Como brilhar numa entrevista em três minutos

3. Atente aos comportamentos

Quando se estiver a preparar para o evento ou situação social, treine alguns aspetos interessantes para causar boa impressão nos outros. Em primeiro lugar, a expressão facial diz muito sobre si: diga sempre bom dia com um sorriso (não forçado nem exagerado), isso irá ajudar a quebrar o gelo com alguém com quem quer falar. Saiba ouvir: As pessoas gostam de falar sobre si e gostam de perceber que há alguém a ouvi-los. Quando estiver a conversar, não se esqueça de dizer o nome da pessoa. Isso fá-las sentir mais confortáveis e importantes. Outro aspeto é deixar sempre o seu cartão de contacto. Esta é uma forma efetiva de garantir que o seu nome não será esquecido. Leia o texto: Como a linguagem corporal pode ajudá-lo numa entrevista

4. Procure pontos de interesse

Um dos aspetos fundamentais para quem quer estabelecer uma rede de contactos é fazer conversa, mesmo quando não está familiarizado com a pessoa. Assim, se está no intervalo de uma reunião evite ficar sozinho a um canto. Mesmo que seja difícil, deve procurar contrariar o seu espirito reservado e conversar com algumas pessoas. Um bom ponto de partida é procurar pontos em comum com os outros. Se falar sobre um tópico que apenas lhe interesse a si, corre o risco de aborrecer a outra pessoa. Por isso, faça questões generalizadas que possam dar-lhe alguma pista sobre os pontos que têm em comum, quer seja a zona onde nasceram, se praticam desporto ou se têm família. Leia o texto: Como o voluntariado pode ajudá-lo a encontrar emprego

Leia mais na página seguinte

Comentários