Que utilidade podem ter os desafios da vida?

Embora, na maioria das vezes, não consigamos entender o sentido maior do que atraímos e do que nos acontece, é imprescindível alcançar cada vez mais uma compreensão maior sobre a vida.

No nosso dia a dia, surgem sempre situações que nos atropelam e nos fazem sentir fora do controle da vida, sobre nós mesmos e sobre os outros. Surgem acontecimentos inesperados que nos assaltam e nos retiram da nossa perspetiva de paz e equilíbrio interno. Distúrbios que acabam por nos ir provocando reações, por vezes descontroladas e até agressivas, que denunciam muitos dos nossos medos, fragilidades, e desequilíbrios mais ocultos.

Embora na maioria das vezes não consigamos entender o sentido maior do que atraímos, e do que nos acontece, é imprescindível alcançar cada vez mais uma compreensão maior sobre a vida que nos ajude a superar os desafios de forma sábia e que nos ajude a manter equilibrados. Também, a compreensão sobre a lei da atração, é extremamente importante para que seja mais simples entender o que atraímos e assim poder colaborar com o que recebemos da vida.

Ao entender e aceitar que atraimos o que precisamos para crescer, ajuda-nos a ter coragem de olhar para dentro e a optar por colaborar com os processos mais dolorosos. Não havendo compreensão, todos os desafios terão o dobro do impacto e do sofrimento e poderão perpetuar-se e perseguir a pessoa para o resto da vida, como acontece com os ódios, as mágoas, os medos e todos os sentimentos negativos que nos perseguem e corroem por dentro.

É importante deixar de tentar encontrar “bodes espiatórios” para fugir à nossa responsabilidade (numa perspetiva evolutiva sobre o facto de termos atraído as tempestades) de 50% sobre tudo o que nos acontece. É fundamental entender, também, que as nossas formas de reação instintivas e descontroladas, dizem muito sobre nós e das nossas feridas, independentemente se o que veio de fora tenha sido ou não desprezível.

Respostas de ação possíveis num confronto desafiador

O facto de ser inevitável fugir aos confrontos com os desafios inesperados impostos pela vida, obriga-nos, a dois tipos de resposta:

• Uma RE-AÇÃO - agindo por estímulo e impulso de resposta reativo, estando nós em modo de inconsciência e mecanismo automático.

• ESCOLHER AGIR – uma ação consciente e sábia que, não só dá resposta positiva ao que aconteceu como ainda pode desencadear um processo de cura no outro - quando vivemos em Mindfulness (atenção plena), dissociados e em auto-observação, ficamos conscientes de quem somos, e vivemos plenamente no agora e percebemos que estamos numa escola de consciência onde temos de nos transcender e superar nas nossas verdades e crenças internas. Ir para além do que acredito que sou.

Comentários