Coaching para totós: quem procura sempre encontra

Cheguei àquele momento, que mais parecia estar num barco à deriva em alto mar. Se sabia para onde pretendia ir? Não! Portanto, a velha máxima de Séneca de que “nenhum vento sopra a favor para quem não sabe onde quer ir”, aplicava-se a mim na perfeição.

Esta semana quero partilhar convosco, um dos assuntos que mais me abordam nas sessões de coaching: carreira e sentido de vida.

Ao longo dos anos vou-me apercebendo que muitas pessoas se sentem à deriva relativamente à sua carreira. As dúvidas são idênticas, as ansias e as vontades as mesmas: encontrar uma profissão que as faça sentir apaixonadas e realizadas.

Quero partilhar convosco o meu caminho até aqui.

Em 2004 terminei a minha licenciatura e como grande parte dos comuns mortais, a minha oportunidade dentro da minha área não surgiu. Nunca fui pessoa de me acomodar, portanto, procurei imediatamente trabalho fora daquilo que sonhava. Ao longo de mais de 10 anos, desenvolvi a minha carreira como comercial e coloquei de lado o meu sonho de menina. Sonho que ao longo dos anos se foi desvanecendo. Cheguei àquele momento, que mais parecia estar num barco à deriva em alto mar. Se sabia para onde pretendia ir? Não! Portanto, a velha máxima de Séneca de que “ nenhum vento sopra a favor para quem não sabe onde quer ir”, aplicava-se a mim na perfeição. Fiz o exercício mental de tentar perceber o que me via a fazer o resto da minha vida. Não resultou. Hoje percebo que a única constante na vida, é a mudança e que a mulher que sou hoje, não é a mesma quando entrou na faculdade nem será a mesma daqui a 20 ou 30 anos. As pessoas mudam e como diz o velho ditado “mudam-se os tempos, mudam-se as vontades”. Passei ao segundo exercício mental: O que mais gosto de fazer? De início, achei que não gostava de fazer nada, pois tinha a crença que me limitava, que as coisas que mais me apaixonam apenas podiam ser hobbies. Nunca estive tão enganada! Na infindável lista de criança sonhadora mas com os meus amadurecidos 30 anos, saltou à vista a minha paixão por cozinhar. Tomei de imediato a decisão de me inscrever no curso de Alimentação Macrobiótica, no IMP. Muito mais que uma escola, uma família! Lá a vida trouxe-me o coaching, através de colegas, e hoje percebo na perfeição o significado da mensagem “Deus escreve direito por linhas tortas”. No coaching, descobri o que estava mais bem guardado dentro de mim: os valores que sempre me guiaram e eu não compreendia. Valores esses que muitas vezes tentei aniquilá-los. Conhecem a célebre frase de Antoine de Saint-Exupéry “Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos”? Muito bem, o caminho de auto descoberta que percorri durante a minha formação de coaching, era um reflexo diário deste pensamento. Quanto mais me conhecia, mais certezas tinha de qual era o meu caminho, mais barreiras derrubava e mais forte me tornava. Hoje faço aquilo que me apaixona e me dá sentido à vida.

Questione-se todos os dias, até obter as respostas que procura! Procure dentro de si, as respostas estão lá, ansiosas por se mostrar. E o mais importante, aprenda a fazer as perguntas certas! Se quer respostas de excelência, tem de fazer perguntas excecionais. Lições de vida que aprendi: não se acomode ao que não o apaixona, não se acomode a menos daquilo que merece e enquanto não encontrar o lugar onde quer estar, não pare de o procurar. Se for preciso tentar uma, duas, 10 ou 50 vezes, não se importe. No final de contas, o que é mais importante é que à quinquagésima primeira tentativa, você passou do tentar ao fazer acontecer. E acredite, todos os caminhos que trilhamos, todas as escolhas que fazemos, todas as coisas que vivemos são peças que mais à frente vão completar o grande puzzle que é a vida.

 Na próxima semana, volto a partilhar questões e dúvidas com que nos deparamos ao longo da nossa vida.

Relembro que estou disponível para questões através do email healthyforlifecoach@gmail.com ou da minha página aqui.

Veja também: Coaching para totós: Quem você é?

Boa semana!

Cátia Tomás

Wellness & Life Coach

Clínica Mais Alvalade

artigo do parceiro:

Comentários