Os benefícios da zooterapia

O potencial terapêutico do contacto com os animais há muito que é reconhecido e até recomendado por especialistas. Veja a ajuda que cães, cavalos, burros e até pássaros e golfinhos podem dar

A zooterapia é praticada desde a antiguidade, altura em que os animais eram presença frequente nos pátios das instituições psiquiátricas e de saúde, aligeirando a estadia e contribuindo para o bem-estar dos pacientes. Só a partir da década de 1960 é que o alegado poder que os animais têm sobre as pessoas se tornou evidente. Foi o psicólogo infantil norte-americano Boris M. Levinson que se apercebeu do potencial terapêutico das relações entre crianças e animais.

Mas não é só em casos clínicos que os animais são uma ajuda preciosa. Basta observar o exemplo dos idosos a quem são oferecidos animais de companhia para, desta forma, combaterem o isolamento social e a solidão ou mesmo das crianças sem irmãos, situação cada vez mais frequente na sociedade atual, que assim colmatam a falta que lhes faz o amor fraternal.

Os benefícios da zooterapia

Dirigidas a todos os tipos de pacientes, desde crianças com problemas psicomotores até idosos ou doentes mentais, as terapias assistidas com animais têm inúmeros benefícios:

- Apesar de não curarem, estas práticas ajudam os pacientes a recuperar a autoestima, a fomentar a interação e as relações sociais, a adquirir uma maior autonomia e a desenvolverem melhores capacidades de linguagem e movimento.

- Promovem o desenvolvimento emocional através do vínculo criado entre o paciente e o animal.

- No caso das crianças, motiva-as a pensar e a aprender, proporciona actividades interessantes e estimula a participação de crianças mais tímidas nas atividades em grupo.

- No caso dos idosos, afasta sentimentos de frustração, solidão, ansiedade e tristeza.

Veja na página seguinte: Terapias com cães

Comentários