Varizes

Como se formam e o que pode fazer no seu dia-a-dia

Passar horas de pé ou sentada, desafiando a força da gravidade, a obesidade, o sedentarismo, as gravidezes e alguns tratamentos hormonais são as causas principais do aparecimento de varizes.

Essas veias dilatadas azuis ou arroxeadas que se tornam mais evidentes no Verão, quando as roupas leves as deixam à vista, instalam-se quando nos aproximamos dos 40 anos (se não antes).

As varizes são o resultado de uma alteração na capacidade do nosso aparelho circulatório de levar de volta ao coração o sangue bombeado para os membros inferiores. Em 60 por cento dos casos, as varizes estão também associadas a uma patologia de insuficiência venosa, muitas vezes de origem genética.

O que são as varizes?

São malformações maiores e de aspecto mais dilatado. Podem provocar dor e outros problemas de saúde.

Existem varizes reticulares (as de dimensão média, podem estar associadas a
sensação de pernas cansadas, formigueiros, cãimbras, inchaço e dor, bem
como manchas escuras, eczemas e dermatites) e troncolares (são as maiores e mais grossas e podem causar atrofia da pele, úlceras,
flebites superficiais ou, nos casos mais graves, tromboses venosas
profundas e, até, embolismos pulmonares). As varizes distinguem-se pelo seu tamanho e sintomas que as acompanham.

As telangiectasias (derrames) são pequenas formações avermelhadas de aspecto superficial. Inicialmente, representam sobretudo um problema estético, apesar de também poderem produzir sensação de peso e cansaço, mas se não forem tratadas podem evoluir para situações mais graves.

Como se formam?

«As varizes são dilatações das veias que perdem a sua capacidade normal de enviar adequadamente o sangue até ao coração», define o cirurgião Emílio Valls, director clínico da Clínica Luso-Espanhola, no Porto.

O problema surge quando as suas válvulas, que controlam a subida do sangue para o coração, falham. Incapazes de cumprir a sua função, estas veias doentes vão-se convertendo em reservatórios onde o sangue se acumula, entorpecendo a circulação e tornando-se cada vez mais visíveis e volumosas.

Ver artigo completo

Comentários