Tília

Em chá, é boa para aliviar gripes e bronquites. Saiba como a deve plantar, tratar e consumir

Uma infusão bem quente de chá de tília estimula a sudação, recomendada em situações de estados febris, de gripes e de catarros.

As tílias são elegantes árvores de grande porte, poderosas, exuberantes e bonitas. Possuem delicadas flores amareladas em forma de coração e de suave e agradável aroma que medem cerca de 10 centímetros.

As flores ficam como que penduradas por cima da folha mas na realidade trata-se de uma escama em forma de folha. Existem crenças no folclore dos países nórdicos acerca das tílias. Alguns povos dizem que é sob a sua copa que aparecem as fadas nas noites quentes de verão (o mesmo se diz sobre o sabugueiro, ao que consta seriam as duas grandes favoritas destes seres etéreos do imaginário ou não).

Diz-se ainda na Irlanda que aquele que adormecer debaixo de uma tília será transportado para a terra das fadas (Fairyland). Na realidade, a copa de uma tília adulta pode ter um perímetro de cerca de 50 metros. Podem atingir cerca de 30 metros de altura e o diâmetro do seu tronco pode chegar a atingir 1,30 metros. Os frutos são arredondados de cerca de 8 milímetros, com casca cinzenta, finamente estalada. Galhos finos com botões com duas escamas.

As espécies que existem

A tília é nativa da Europa, sendo no entanto cultivada em todo o mundo. Existem algumas espécies do género tília como por exemplo a Tilia x vulgaris, a Tilia cordata, Tilia plathyphylos e a Tilia x europaea que é um híbrido entre T.cordata e T.platyphylos. Em Portugal, cultiva-se a T. X vulgaris e a T. Tomentosa, de nome cumum tília tomentosa.

A tília pertence à família das tiliáceas. O seu nome inglês é lime tree ou linden tree, em francês tilleul e em castelhano tilo. As propriedades e as partes utilizadas são as mesmas em todas as espécies. Para fins medicinais, utilizam-se as inflorescências inteiras e por vezes mas raramente também se utiliza a casca privada da cortiça (alburno).

Composição

As flores da tília são ricas em mucilagem e óleos essenciais como o geraniol, o eugenol e o farnesol, que confere o tão característico aroma às suas flores. Contém ainda flavonóides e glicósidos, saponinos, taninos e sais de manganês. A casca da planta contém mucilagem, polifenois, taninos, heterósidos e triterpenos.

Propriedades

Uma infusão bem quente de chá de tília constitui um excelente sudorífico (que estimula a sudação), muito recomendado em estados febris, gripes e catarros, especialmente em crianças devido à sua acção levemente calmante e ao seu sabor agradável e adocicado. É um bom calmante do sistema nervoso e muito utilizado em crianças hiperactivas.

Tradicionalmente em França, o chá das cinco para as crianças era de tília tomado à sombra da própria árvore, para que assim o efeito fosse ainda mais eficaz. A tília é ainda útil no alívio de dores de cabeça e insónias. Devido à acção dos bioflavonóides, é eficaz como hipotensor. Combate a arteriosclerose, a tosse, a bronquite, digestões difíceis e cólicas gastrointestinais.

Esta planta funciona ainda como sedativo, ansiolítico e anti-espasmódico. Uma decoração feita a partir da casca depois de extraída a parte exterior pode ser utilizada em casos de problemas de fígado e visícula e também no combate à celulite.

Efeitos secundários

Deve-se fazer um repouso de dois ou três dias cada vinte dias, pois o uso contínuo sem interrupções pode causar taquicárdias e diminuição da tonicidade do músculo cardíaco. A casca pode ainda causar obstrução das vias biliares. Pessoas que sofram de alergia ao polén devem evitar a proximidade das tílias na época da floração.

Doses recomendadas

É aconselhada uma dose média diária de 2 a 4 gramas em infusão. Nesse caso, deve-se verter água depois de fervida ou quase por cima das inflorescências, cobrir para que não se evaporem os princípios activos e esperar cerca de 10 minutos antes de beber. É ainda recomendada uma quantidade entre 1 a 2 colheres (de sobremesa) da planta por chávena e entre 2 a 5 chávenas por dia. A utilização do chá de tília para combater gripes, tosse e bronquites foi aprovada pela Comissão Europeia.

Texto: Fernanda Botelho

artigo do parceiro:

Comentários