Ter um AVC aos 30 anos

Quando a doença surge mais cedo do que se espera

Atualmente, é a principal causa de morte em Portugal, atingindo números preocupantes.

Apesar da idade habitual de diagnóstico situar-se entre os 65 e os 75 anos, um acidente vascular cerebral pode acontecer logo aos 30 anos.

«Ocorre quando um vaso sanguíneo do sistema nervoso rompe ou é bloqueado por um coágulo e uma parte do cérebro deixa de receber sangue e começa a morrer», explica a neurologista Belina Nunes.

«Pode dever-se a isquemia (falta de aporte de sangue ao cérebro) ou a hemorragia (extravasamento de sangue dos vasos para o tecido cerebral), mais grave mas também menos frequente», esclarece a especialista.

Porque pode surgir mais cedo?

«Embora o AVC esteja associado a idades mais avançadas, sendo mais comum a partir dos 55 anos (com a incidência a dobrar a cada década depois dessa idade), pode ocorrer em idades mais precoces, nomeadamente em jovens adultos», confirma a neurologista Belina Nunes. «A hipertensão arterial, a diabetes, os valores elevados de colesterol e triglicéridos e as doenças cardíacas são os principais fatores de risco da doença vascular cerebral, em qualquer idade, a par da carga genética», alerta a especialista.

No entanto, que «um jovem adulto pode ter um AVC em consequência de condições clínicas mais raras (rutura de um aneurisma cerebral, malformação arteriovenosa cerebral ou trombose venosa cerebral) difíceis de controlar», ressalva ainda. Em qualquer dos casos, «o prognóstico depende da rapidez de intervenção diagnóstica e terapêutica e da localização e extensão da hemorragia».

Ver artigo completo

Comentários