Síndrome metabólica

Previna-se do risco de desenvolver doenças cardiovasculares e diabetes

A prevalência da síndrome metabólica (SM ) está a aumentar em toda a Europa, em grande parte, devido à obesidade que se relaciona directamente com a perda de estilos de vida saudáveis. Portugal não só não é excepção como regista um aumento acima da média.

A elevada prevalência na população portuguesa da SM, uma condição associada à hipertensão arterial, à diabetes e à obesidade, justifica a preocupação e o empenho de todos os profissionais de saúde e da sociedade em geral no combate a estas «epidemias» modernas.

«Qualquer estratégia de intervenção deverá ter uma componente preventiva e uma componente de detecção e tratamento dos indivíduos em risco», sublinha Luís Raposo, coordenador do estudo PORMETS (Portuguese Metabolic Syndrome Study) do Grupo de Estudo da Insulino-Resistência (GEIR ).

O que é a SM?

É difícil definir a SM, uma vez que esta condição está muito ligada aos critérios de diagnóstico. «É um conjunto de alterações metabólicas relacionadas com a obesidade central, a hipertensão arterial, o colesterol, entre outros», esclarece José Camolas, nutricionista no Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

Normalmente, a maioria das alterações metabólicas não têm sintomatologia associada. «A SM existe quando as mesmas afectam um indivíduo e aumentam o risco de desenvolver patologia cardiovascular ou diabetes», indica José Camolas.

Comentários