Não fique doente este inverno

Febre, gripes, constipações, dores de garganta, otites, amigdalites, faringites… A lista é grande! Veja tudo o que precisa saber para não adoecer nos períodos de maior frio

Continuamente sujeito a agressões, o organismo humano possui um sistema que nos protege da doença. Manuel Santos Rosa, professor catedrático de imunologia na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, conhece-o bem. «O sistema imunitário, ou imunoinflamatório, é um sistema complexo que nos permite uma melhor resposta biológica a agressores. É também responsável pelo sucesso das vacinas. Sem ele, ou no caso do seu mau funcionamento, não teríamos memória imunológica, que nos permitisse ser vacinados», refere o especialista.

Quando o objetivo é não adoecer, é imperativo manter este sistema regulado. Para tal, os hábitos de vida, a alimentação, o exercício físico, os cuidados básicos de higiene e as nossas emoções contam. Em entrevista à Prevenir, Manuel Santos Rosa conta-lhe as principais medidas a adotar nos períodos em que as temperaturas mais descem, apontando conselhos que o vão ajudar a defender o seu organismo das patologias maios típicas desta época.

Quais os principais cuidados a ter com a chegada do frio, para evitar as doenças típicas da estação?

O reforço da imunidade consegue-se com atitudes quotidianas e deve ser encarado não apenas face a estas agressões sazonais, mas a todas, tanto externas (vírus, bactérias, fungos e parasitas) como internas, especialmente o cancro e o envelhecimento. No caso específico da prevenção da gripe e de outras infecções respiratórias, são aconselhadas medidas simples que evitem a propagação dos agentes infecciosos, a manutenção de uma alimentação equilibrada e de uma vida saudável (exercício físico moderado e alegria de viver).

As nossas emoções podem favorecer o aparecimento de uma gripe?

A relação entre o sistema nervoso e o sistema imunitário é enorme. Em particular, o stresse é fortemente depressor do sistema imunitário, constituindo uma forte ameaça à eficácia das nossas defesas. Embora muitos não fiquem convencidos se dissermos que evitando o stresse (ou criando boas estratégias para lidar com ele) podemos melhorar muito as nossas defesas contra as infeções, basta lembrar que o herpes labial surge habitualmente após uma imunodepressão transitória criada pelo stresse aumentado. Depois daquela semana em que tudo correu mal, que andamos a correr, em que ocorreu alguma fatalidade...

A vacinação contra a gripe é importante?

O principal interesse da vacinação é prevenir as complicações graves da gripe que, embora não sejam muito frequentes, podem constituir um problema de saúde grave, sobretudo para os grupos em que está especialmente recomendada, nomeadamente pessoas idosas, grávidas, profissionais de saúde e outros prestadores de cuidados em saúde e doentes crónicos e imunodeprimidos (a partir dos seis meses de idade). Tem também a vantagem de diminuir a capacidade de propagação do vírus, o que, em termos de saúde pública, é muito importante.

No dia a dia, o que podemos fazer para combater o risco de infeção?

Para evitar a propagação dos agentes infecciosos, é muito importante ter em conta que ela acontece frequentemente através das mãos. Assim, tão importante como evitar a transmissão pelo ar, através de gotículas contaminadas, é lavar frequentemente as mãos (que tocaram num puxador de porta, num teclado de um computador ou num telemóvel, antes utilizado pela pessoa engripada).

Deve sempre espirrar contra a mão, braço ou para um lenço descartável e não para o ar, e tentar evitar o ato involuntário de levar as mãos à cara, tocar no nariz ou na boca, que são portas de entrada privilegiadas para as infeções respiratórias. Evite permanecer em locais de forte possibilidade de contacto com agentes infecciosos, como as urgências hospitalares, a que só se deve recorrer em caso de manifesta necessidade.

Veja na página seguinte: Existem diferenças na resposta imunitária entre homens e mulheres?

Comentários