Medicina de género

A área de investigação que comprova as diferenças entre homens e mulheres

Até há duas décadas, a investigação médica centrava-se no sexo masculino e as conclusões apuradas pelos cientistas redundavam numa (aparente) certeza: o que era descoberto sobre os homens seria extensível ao sexo feminino.

«Um dos maiores erros do pensamento médico», escreve Marianne J. Legato, cardiologista e o nome que mais se destaca quando falamos em Medicina de Género, a ciência que estuda «como os processos fisiológicos humanos normais e a experiência de doenças variam em função do sexo biológico».

O trabalho desenvolvido pela autora de «Porque morrem os homens primeiro» sublinha que o sucesso das estratégias de prevenção e tratamento de doenças assim como o prolongamento da nossa longevidade passam pelo domínio dos porquês das diferenças entre os sexos.

Surpreenda-se com as descobertas desta especialista, já a seguir.

Comentários