Automedicação segura no inverno

Os medicamentos que pode tomar

Os meses de maior frio são também aqueles em que as pessoas adoecem mais facilmente e não são raros os casos em que recorrem à automedicação para se curar.

Os medicamentos não sujeitos a receita médica podem ajudá-lo a superar as doenças respiratórias invernais ou os seus sintomas, mas é fundamental que leia sempre e respeite o rótulo. Por isso, é essencial em que casos este tipo de fármacos são indicados e quando os deve parar de tomar.

Antitússicos

Podem ser usados em caso de tosse seca, persistente e de grande incómodo e em caso de irritação brônquica com ataques de tosse, em particular à noite. Pare de tomar após cinco dias ou se a tosse for acompanhada por muito muco. Deve fazer o mesmo caso o muco tenha cor amarelada, esverdeada ou com sangue ou se sentir dores no peito e/ou tiver dificuldade respiratória ou febre.

Mucolíticos

Em xarope, gotas orais, comprimidos efervescentes ou granulados, comprimidos e cápsulas, usam-se para tratar a expetoração, reduzindo a viscosidade do muco e alterando a sua estrutura para facilitar a sua remoção através da tosse. Pare de tomar, no máximo, após sete dias ou se surgir muco com sangue, dores no peito, dificuldade respiratória e febre.

Descongestionantes nasais

Em gotas, gel e nebulizadores nasais, aliviam rapidamente, durante cerca de 12 horas, espirros e corrimento nasal, graças a um efeito vasoconstritor (redução do calibre dos vasos sanguíneos). Pare de tomar após três a cinco dias, salvo indicação médica em contrário e se surgir hemorragia ou congestão nasal que não melhore ao fim de quatro dias ouse sentir dificuldades respiratórias.

Comentários