As doenças mais comuns no inverno

Esclareça as dúvidas sobre os principais males dos meses frios e veja como agir

São doenças que se confundem entre si porque, na maioria das vezes, os principais sintomas são semelhantes.

Febre, tosse, nariz obstruído, dores de garganta incomodam-nos no inverno e levam a que, frequentemente, se faça um autodiagnóstico.

«Estou com gripe», é comum ouvir-se, quando a pessoa tem apenas uma constipação.

O estudo «Atitudes e Comportamentos face às infeções respiratórias», apresentado em 2012, revelou que cerca de 30 por cento dos portugueses recorre à toma de chá e mel para prevenir estas patologias e 12 por cento associa-as a ambientes poluídos. Para que tenha uma saúde de ferro no inverno, Carlos Robalo Cordeiro, pneumologista, analisa as principais doenças respiratórias desta época do ano.

Gripe

Doença infecciosa do aparelho respiratório, a gripe predomina nos meses frios de inverno, «causada pelo vírus Influenza e habitualmente limitada no tempo, podendo propagar-se, nomeadamente, através da tosse ou espirros de doentes infetados», explica Carlos Robalo Cordeiro, pneumologista. O seu alvo principal é a população com mais de 60 anos e as crianças com doenças pulmonares crónicas, por exemplo a asma, estão mais predispostas a estas infeções, bem como trabalhadores da área da saúde.

Febre, habitualmente elevada, dores musculares, dores de cabeça e «mal-estar geral, o que, no típico contexto epidemiológico (época do ano, surto gripal e/ou contacto com pessoa infetada), permitem o diagnóstico», são os principais sintomas a que devemos estar atentos, segundo o pneumologista.

«O tratamento pode constar unicamente da toma de antipiréticos e/ou anti-inflamatórios, para a febre e dores já referidas, ou também de xaropes ou comprimidos para drenar as secreções em abundância», explica o pneumologista. O tratamento pode incluir a toma de antibiótico, para prevenir complicações bacterianas que poderiam fazer evoluir para uma situação mais grave ou ainda medicação antiviral, em quadros clínicos mais severos.

Constipação

A constipação é uma doença infecciosa das vias aéreas superiores, mais frequente no outono e inverno, «também conhecida como coriza, autolimitada a um período de dois a três dias, cujo contágio se faz habitualmente através das secreções respiratórias emitidas da população doente» salienta Carlos Robalo Cordeiro. A constipação pode atingir qualquer pessoa, estando mais sujeitas a esta infeção provocada por vírus pessoas com patologia crónica, como a diabetes, doenças cardíacas ou respiratórias.

«Os sintomas mais frequentes são congestão ou corrimento nasal e dor a engolir», exemplifica. «Só com febre alta, maior debilidade ou queixas respiratórias como tosse ou rouquidão arrastadas, se deverá recorrer a cuidados de saúde mais diferenciados e eventualmente realizar radiografia do tórax ou análises», esclarece o pneumologista.

Sendo uma doença habitualmente limitada a três ou cinco dias, «o tratamento pode constar principalmente de medicação para a febre, anti-inflamatórios para as restantes queixas, antialérgicos para o corrimento nasal ou ainda descongestionantes nasais, a utilizar mais raramente e em períodos curtos», salienta.

Comentários