Sementes de chia previnem doenças cardiovasculares

Ricas em ómega-3 e ómega-6, ferro e vitamina C, há quem as considere um superalimento. Saiba por que as deve incluir na sua alimentação, sobretudo se sofre de diabetes e/ou de problemas cardíacos

Parecem sementes de papoila ou até de sésamo, mas são na realidade sementes de chia, considerado por muitos especialistas em nutrição um superalimento da natureza. Ricas em ómega-3 e ómega-6, são muito nutritivas e com propriedades antioxidantes. O seu valor já era conhecido dos aztecas e dos maias. No México, de onde são originárias, diz-se que uma colher de sementes de chia é suficiente para sustentar uma pessoa durante um dia. São também ideais para celíacos, uma vez que não contêm qualquer vestígio de glúten.

Além das fibras alimentares e das boas gorduras que integram, o seu teor de ácido alfa linolénico, presente no ómega-3, também não é de menosprezar. Estas sementes contêm ainda cálcio, ferro e vitamina C. Estudos internacionais garantem que ajudam a prevenir doenças cardiovasculares, como refere uma investigação levada a cabo no Canadá com doentes com diabetes tipo 2, que após 12 semanas de ingestão de entre 33 a 41 g, revelaram sinais de uma melhor tensão aerterial.

Podem ser adicionadas a muesli, a iogurtes, a saladas, a batidos, a sopa ou ainda a outros alimentos. Podem também ser adicionadas à massa do pão, biscoitos ou bolos. Estas sementes estão disponíveis em lojas de produtos naturais e também já em muitos hipermercados. Se tiver alguma dificuldade em encontrá-las num estabelecimento perto de si, pode encomendá-las online ou através do telefone 964 671 561. Uma embalagem de 250 g custa cerca de 5,80 euros.

artigo do parceiro:

Comentários