Consumo de alimentos probióticos tem de ser regular

Existem iogurtes, bolachas, sumos e leites enriquecidos com organismos fermentados que melhoram o trânsito intestinal e não só. Mas ingeri-los apenas ocasionalmente não serve de muito

Também designados de alimentos funcionais, os alimentos probióticos têm vindo a ganhar adeptos. Segundo a FAO, organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação, numa opinião também corroborada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), «os probióticos são microorganismos vivos que, administrados em quantidades adequadas, têm um efeito benéfico sobre a saúde».

Para que um alimento com probióticos seja efetivamente funcional, os seus microorganismos devem estar vivos e existir em quantidades suficientes, ser estáveis e viáveis até à caducidade do produto e ter a capacidade de oferecer benefícios para a saúde. A lista de alimentos que incluem ingredientes probióticos inclui iogurtes, bolachas, sumos, pães, refeições infantis ou leites.

Os principais probióticos para o consumo humano são bactérias lácticas bifidobactérias e lactobacilos. Estes microorganismos contribuem para fortalecer as defesas e favorecem a função intestinal. A quantidade a tomar é outro fator relacionado com a sua eficácia. Para que os seus efeitos sejam favoráveis, é mesmo necessário ingerir estas bactérias regularmente, apontam os especialistas.

artigo do parceiro:

Comentários