Polifenois

Saiba onde encontrar estas substâncias que retardam a oxidação do organismo

Os polifenois são as substâncias antioxidantes que mais abundam na alimentação. O seu consumo é, em média, dez vezes superior à ingestão diária de vitamina C e 100 vezes maior que o consumo de vitamina E e carotenoides.

Desempenham um papel chave na prevenção das doenças cardiovasculares, na atividade anti-inflamatória e na prevenção da obesidade e da diabetes.

Têm, também, benefícios no combate de vários tipos de cancro e de doenças neurodegenerativas. São essencialmente provenientes de frutas e bebidas derivadas de plantas, tais como sumos, chá, café ou vinho tinto.

As verduras, os cereais, o chocolate e as leguminosas secas também contribuem para a ingestão total de polifenóis. Um terço das substâncias presentes na alimentação são ácidos fenólicos e o resto flavonoides.

Pedro Lôbo do Vale refere que «os polifenois com ação antioxidante são bioflavonoides, como a quercetina, dos quais são boas fontes o chá verde, o cardo-mariano, o ginkgo biloba, a casca do pinheiro e as bagas azuis escuras ou vermelhas, por exemplo».

Quercetina

É um potente flavonoide que tem efeitos benéficos na proteção cardiovascular e promove uma ação anticancerígena, antiviral e anti-inflamatória. Previne igualmente úlceras, alergias e cataratas. Em associação à vitamina C, prolonga a sua atividade antioxidante. Esta substância está presente em maçãs, cebolas, chá verde e chá preto, vinho tinto e hortaliças de folha verde.

Comentários