Ortorexia

O termo Ortorexia deriva da palavra Grega “orthos”, que significa próprio, correto e da palavra “orexia”, que significa apetite. É considerado um transtorno alimentar, caracterizado por uma obsessão com a prática de uma alimentação saudável.

Atualmente existe uma maior consciencialização da importância de uma alimentação saudável para uma maior qualidade de vida. Contudo surgem casos em que as recomendações alimentares são seguidas com extremismo, como é o caso da ortorexia. Esta perturbação pode acontecer em certos indivíduos, por norma com perturbações psiquiátricas, com uma personalidade obsessiva-compulsiva, ou resultante das pressões que a sociedade actual vincam sobre determinada imagem corporal.

As pessoas que sofrem de ortorexia rejeitam alimentos que não são naturais, saudáveis ou puros. Entre a grande variedade de alimentos que evitam encontram-se os alimentos transgénicos, as carnes, os enlatados, os alimentos ou bebidas com cafeína ou com outras substâncias químicas.

Os ortoréxicos caracterizam-se ainda por dedicar várias horas a examinarem o que comem. Lêem imenso sobre nutrição, assim como lêem rótulos alimentares minuciosamente. Chegam mesmo a não comerem em restaurantes por desconfiarem da qualidade das refeições.

Esta preocupação desmesurada com o que comem leva a que dediquem cada vez mais tempo a planear as suas refeições e menos tempo ao lazer.  Para além do apoio de um nutricionista para desmistificar ideias e orientar em termos alimentares, é fundamental um apoio de um psicólogo e/ou psiquiatra.

Podendo ou não a ortorexia ser classificada como uma doença do comportamento alimentar, reconhecida pela comunidade científica actual, é cada vez mais frequente encontrar pessoas com estas características na nossa sociedade. Ironicamente, a procura por uma opção mais saudável e pura, acaba por levar em alguns casos a distúrbios psicológicos ou mesmo físicos...

Assim, recomenda-se que haja uma alimentação equilibrada e variada, privilegiando os alimentos mais naturais, mas de forma descontraída e aprazível, sem entrar em extremos.

 

Dra. Joana Pinheiro

(nutricionista)

artigo do parceiro:

Comentários