Gengibre

Um aliado contra náuseas, constipações e úlceras gastro-duodenais

O gengibre é rico em óleo essencial, fenóis, lecitinas, aminoácidos, sendo que os seus efeitos terapêuticos derivam principalmente da sinergia entre os seus constituintes fitoquímicos.

Trata-se de uma planta medicinal utilizada para o tratamento e prevenção dos enjoos (antiemético). Utiliza-se nos enjoos por movimento (nas viagens de carro ou barco), das grávidas ou causados pela quimioterapia.

Num estudo publicado no jornal Anaesthesia, 120 mulheres foram divididas em três grupos no período pré-operatório. Um grupo fez 1 g de gengibre, outro 10 mg de metoclopramida e o restante placebo.

As náuseas e vómitos foram menores nos dois primeiros grupos (27, 21 e 41% respetivamente), assim como a necessidade de antieméticos no pós-operatório (15, 32 e 38%). Num inquérito realizado na Austrália a 588 grávidas, publicado no Pregnancy and Childbirth em 2006, 11,6% afirmaram terem consumido gengibre no início da gravidez com uma eficácia de 76,8% na redução das náuseas.

Outras propriedades

No pós-operatório, é usada para evitar náuseas e enjoos, assim como na osteoartrite como anti-inflamatório. Juntamente com o sabugueiro ou a equinácia, ajuda a atuar contra gripes e constipações. Também diminui a agregação plaquetária e a síntese de colesterol. É ainda um bom aliado no tratamento de úlceras gastro-duodenais.

Ver artigo completo

Comentários