Cozinha... a alta velocidade

Quem disse que a comida rápida não pode ser saudável? Técnicas e truques que provam o contrário

Nos anos 40 a máquina de lavar a roupa mudou a vida das mulheres, que nos anúncios sorriam orgulhosas ao seu lado.

Nessa altura, mais precisamente em 1947, era também inventado nos Estados Unidos da América um aparelho que revolucionaria, mais uma vez, a rotina familiar, mas apenas décadas mais tarde. O seu nome? Microondas.

A sua inovação era tal que suscitou desconfiança e dificultou a integração na sociedade. Hoje em dia, já não imaginamos um dia sem ele. Aquecer o leite ao pequeno-almoço ou dar nova vida a um prato confeccionado no dia anterior são algumas funções. Não está a esquecer-se de nada? O microondas tem inúmeras funções. Aprenda a olhá-lo com outros olhos...

Mitos e verdades

A radiação ou alteração química dos alimentos foram perigos atribuídos ao microondas. Hoje em dia,
sabe-se que não é nocivo para a saúde e até a pode beneficiar, ao permitir cozinhados com pouca gordura e preservar os nutrientes
dos alimentos pela rapidez de cozedura.

Segundo a DECO, ao escolher um aparelho, além do preço e consumo energético, deve considerar a louça que irá usar. Por exemplo: se tem recipientes quadrados prefira um modelo que bloqueie a rotação do prato e se tenciona aquecer biberões certifique-se que este tem pelo menos 20 centímetros de altura no interior. Ao longo do tempo, vigie o estado do aparelho e assegure-se que não há fugas durante o funcionamento.

Descongelar

Neste ponto qualquer uma de nós se considera uma expert. Responda então à pergunta: quando descongela um alimento este fica quente? Se a resposta é sim
acabou de perder o estatuto de especialista em microondas. Isto porque ao ser descongelado, o alimento nunca deve exceder a temperatura ambiente. Caso isso aconteça revela que usou potência ou tempo excessivos.

Tomemos por exemplo o pão. Como deve ser descongelado? Para 500 g de pão branco, por exemplo, deve contar com quatro a cinco minutos a 200 watts. Se vir que este tende a aquecer, reduza a potência ou duração. Por fim, deixe-o repousar cinco minutos. Uma forma simples de evitar que os alimentos desidratem é descongelá-los por etapas.

Cozinhar

As técnicas são muitas e, dado tudo ser feito num só aparelho, a sequência de fases é essencial. Primeiro, deve preferir cobrir os alimentos com tampas em pirex ou porcelana, pois as de plástico são mais indicadas para aquecer alimentos. De seguida, deve respeitar as temperaturas e pausas de cada passo,
que garantem uma cozedura homogénea.

Ao preparar alimentos no microondas evite pôr sal no início da confecção, pois favorece a evaporação, tornando-o mais duro. Para aquecer pratos pré-confeccionados siga as instruções da embalagem. E se pretende aquecer dois pratos em simultâneo, mas não tem espaço, coloque tudo num e utilize o outro como
tampa. Depois basta dividir a comida pelos dois pratos quentinhos.


Veja na página seguinte: As potências mais indicadas

Termómetro ideal

O botão da potência do microondas não está ali por acaso. A cada temperatura corresponde um procedimento culinário.

Por exemplo, as posições entre 50 e 250 watts são indicadas para alimentos delicados, como massa folhada, ou para uma
descongelação de qualidade. A margem entre os 300 e os 500 watts permite uma confecção homogénea e é aconselhada para aquecer comida.

A temperatura máxima, acima dos 600 watts, destina-se especialmente a levantar fervura ou, por exemplo, reduzir molhos. Se ao seguir uma receita para microondas a potência referida é superior à do seu aparelho tente compensar com a duração de cada fase.

Perigo iminente

Apesar de prático, o aquecimento ultra-rápido não é bem recebido por todos os alimentos. Alguns deles como o ovo, o tomate, a salsicha ou a batata, se cozinhados inteiros, podem explodir e outros como o leite, embora quentes, revelam o estado de ebulição apenas fora do forno. Para evitar surpresas é aconselhável picar os alimentos inteiros antes da cozedura, o que facilita
a circulação do calor.

Deve também aquecer os líquidos tapados e retirá-los com cuidado. Para o leite
pode ainda experimentar um truque, sugerido pela DECO: colocar uma pequena colher
de madeira no interior da caneca, que ajuda a repartir o calor.

Trem de cozinha

Nem todos os materiais são bem-vindos. Uns porque interferem na acção das microondas e impedem a cozedura, outros por aquecerem demasiado (o barro)
ou terem um efeito reflector (o metal). No caso do plástico é preciso precaução, porque o material de alguns recipientes não resiste a altas temperaturas e pode transmitir compostos nocivos para a comida. Verifique sempre se inclui o símbolo autorizando o uso no microondas e em caso de dúvida não o use.

O cristal, apesar da transparência, é também inadequado. A melhor aposta é o pirex e a porcelana (sem decorações metalizadas). Inúmeras marcas criaram gamas próprias que vale a pena experimentar!


AULA PRÁTICA

AULA PRÁTICA

Aproveite as vantagens das microonadas na confecção de vegetais

Aproveite as vantagens das microonadas na confecção de vegetais

A preparação depende do teor de água do alimento, ou seja, se este é elevado (espinafres ou couve) ou reduzido (cenoura, feijão ou espargos). Eis alguns exemplos:

Para os espinafres:

coloque 400 g (sem terem sido escorridos) num recipiente, junte três colheres de sopa de água e cubra. Cozinhe durante três ou quatro minutos a 60 watts,
outros dois minutos a 400 watts, seguidos de três minutos de repouso a coberto.

Para legumes pobres em água, como a cenoura:

coloque 500 g num prato com cerca de um centímetro de água e cozinhe a 600 watts durante quatro ou cinco minutos, outro tanto a 300 watts e mais três a cinco minutos de repouso coberto.


Dica para limpar o microondas

Coloque no interior do microondas uma taça com água e rodelas de limão e aqueça-a até ferver. Aguarde um pouco e limpe as paredes do forno com papel de cozinha. A humidade ajuda a tirar a sujidade e o limão deixa um aroma agradável.

Texto: Manuela Vasconcelos

Foto: Artur

Comentários