Arando vermelho

Conheça as potencialidades deste fruto que tem apenas 55 calorias

O arando vermelho, da mesma família do mirtilo, é uma espécie de baga que nasce de um pequeno arbusto com meio metro de altura.

Estes frutos, que crescem de modo silvestre à beira da estrada, têm propriedades antioxidantes únicas e protegem contra as infecções urinárias, entre outros benefícios para a saúde.

Os arandos vermelhos são mais facilmente encontrados frescos nos supermercados entre Novembro e Fevereiro.

A maioria dos que encontra à venda em Portugal são provenientes dos Estados Unidos da América ou do Chile. Durante o resto do ano, pode encontrá-los sob a forma de passas mas, neste caso, ainda que os benefícios sejam iguais, são muito mais calóricos porque têm uma maior quantidade de açúcares.

Para os índios norte-americanos, o arando vermelho (e o mirtilo) era um alimento-medicamento que curava tudo, já que, por exemplo, o seu néctar era aproveitado para sarar feridas.

Porque são tão saudáveis?

Estas pequenas bagas são ricas numa substância específica, a proantocianidina tipo A, um antioxidante natural também presente no chocolate e nas uvas. Esta substância evita que as bactérias se fixem nas membranas mucosas, formando uma espécie de barreira entre os tecidos e os agentes patogénicos, constituindo um verdadeiro escudo contra as doenças.

Estão especialmente indicadas para a prevenção e tratamento de infecções urinárias (cistite), porque a substância que causa 90% destas doenças, a bactéria E.Coli, acaba por fluir através da urina, evitando inflamações na bexiga e nos rins. Para além disso, o arando vermelho é rico em pigmentos com propriedades antioxidantes, como as antocianinas e antocianidinas, e polifenóis, como o resveratrol e os flavonóides, que têm um papel anti-inflamatório muito relevante, uma vez que combatem o envelhecimento, evitam o aumento do colesterol e outros problemas cardiovasculares.

Ver artigo completo

Comentários