As amputações diminuíram, mas a diabetes ainda mata 12 pessoas por dia

A diabetes matou 12 pessoas por dia em 2015, estando presente em mais de um quarto dos óbitos nos hospitais públicos em Portugal, segundo o relatório “Diabetes: Factos e Números” do Observatório Nacional da Diabetes, que é apresentado esta quarta-feira (15/03).
créditos: Pixabay

O documento alerta para “um crescimento acentuado do número de novos casos diagnosticados em Portugal em 2015”, com 168 novos casos a serem identificados todos os dias. De acordo com o Observatório (estrutura integrada na Sociedade Portuguesa de Diabetologia – SPD), a prevalência estimada da diabetes na população portuguesa com idades compreendidas entre os 20 e os 79 anos (7,7 milhões de indivíduos) foi, em 2015, de 13,3%. Isto significa que mais de um milhão de portugueses neste grupo etário tem a doença.

“O impacto do envelhecimento da estrutura etária da população portuguesa (20-79 anos) refletiu-se num aumento de 1,6 pontos percentuais da taxa de prevalência da diabetes entre 2009 e 2015”, lê-se no documento.

Em termos de composição da taxa de prevalência da diabetes, o relatório indica que “em 56% dos indivíduos esta já havia sido diagnosticada”. Os autores identificaram “uma diferença estatisticamente significativa na prevalência da diabetes entre os homens (15,9%) e as mulheres (10,9%)”, verificando igualmente “a existência de um forte aumento da prevalência da diabetes com a idade”: mais de um quarto das pessoas entre os 60-79 anos tem a doença.

“A prevalência da diabetes gestacional em Portugal continental em 2015 foi de 7,2% da população parturiente que utilizou o Serviço Nacional de Saúde (SNS) durante esse ano, registando um acréscimo significativo do número absoluto de casos, comparativamente ao ano transato”, lê-se no relatório.

Por seu lado, “a diabetes tipo 1 nas crianças e nos jovens em Portugal, em 2015, atingia 3.327 indivíduos com idades entre 0-19 anos, o que corresponde a 0,16% da população portuguesa neste escalão etário, número que se tem mantido estável nos últimos anos”.

Menos amputações

O número de consultas de diabetes nos centros de saúde diminuiu 12% entre 2014 e 2015, mas aumentaram os doentes sujeitos a rastreio da retinopatia diabética e cresceu também a avaliação dos pés dos diabéticos. No que se refere ao número de amputações de membros por causa diabetes houve um decréscimo de quase 30% face a 2006, mas ainda se fazem mais de três por dia.

Já os custos com medicamentos para a diabetes mais do que triplicaram em dez anos, sendo que o aumento dos encargos tem sido bem superior ao crescimento efetivo do consumo.

Em 2015 foram detetados 13,3 novos casos de diabetes tipo 1 por cada 100 mil jovens com idades compreendidas entre os zero e os 14 anos, valores inferiores aos registados nos últimos anos.

Continuaram a aumentar os internamentos em que a diabetes surge associada a outras doenças, enquanto a população com diabetes seguida nas unidades de cuidados primários do SNS continuou a aumentar, atingindo os 6,8% da população nelas inscrita (6,4% em 2014).

10 regras da dieta mediterrânica que vai ter de adotar 

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários