Vai uma corrida?

Correr pode fazer muito pelo seu bem-estar mas implica cuidados e exige preparação

Já lhe aconteceu estar inscrita num ginásio e, quando dá por ela, verifica que poucas vezes lá pôs os pés?

E todo aquele dinheirão que gastou? Foi a inscrição, depois as mensalidades mais o equipamento e o saco a condizer.

E ainda o combustível para ir até ao local e o parque de estacionamento...

Se leu isto com um sorriso nos lábios satisfeito por não ser a única com peso de consciência, então temos uma excelente sugestão para si. A receita é extremamente simples. Uma boa dose de força de vontade e já está pronta para o seu novo desporto, ou seja, correr. Se não gosta da palavra, sempre pode dizer que vai fazer jogging. No entanto, o termo jogging é mais apropriado para corridas lentas, ou marchas rápidas, em parques arborizados. Mas adiante.

Vamos então começar. Caso não esteja habituada a estas andanças o melhor mesmo é aceitar algumas dicas. Primeiro, este desporto pode ser praticado por qualquer pessoa, em qualquer idade. Depois, a correr ou a fazer jogging, escolha um sítio mais ou menos simpático.

Se não estiver perto de um parque, pelo menos evite os tubos de escape das grandes avenidas. Uma das grandes vantagens do jogging ou das corridas longas é a prevenção ou adiamento de doenças coronárias, além de ser extremamente eficaz no combate ao stress diário.

No entanto, consciencialize-se de que a prática sem orientação, o uso de calçado inadequado e a fraca condição física inicial são factores que contribuem para as lesões inerentes a este tipo de desporto, por isso tome algumas precauções, nomeadamente no que diz respeito ao calçado. Os ténis para esta prática devem absorver o impacto, proporcionar impulso e dar estabilidade ao desportista, além de, como é óbvio, serem confortáveis.

Os erros mais comuns de quem corre podem ser resumidos em excesso de treino ou velocidade e precocidade de progresso. Lembre-se que cada corredor tem o seu limite fisiológico e as lesões podem aparecer ao tentar ultrapassá-lo. Faça este desporto com bom senso, tendo atenção aos limites do seu próprio corpo.

Outra dica útil é que no início deve evitar terrenos irregulares, assim como subidas e descidas. Pisos duros também não são ideais, por isso o melhor é correr em áreas relvadas, terra, areia ou pisos sintéticos. Não use roupa que o faça suar de forma exagerada pois aumenta o risco de desidratação.

É importante que não esteja em jejum e deve ingerir um sumo de frutas dez minutos antes. Aliás, mesmo sem sede deve ingerir entre 250 a 300 ml de água em pequenos goles durante e após a sessão, que deve durar entre 40 minutos e uma hora.

A importância de saber respirar bem

A respiração é muito importante para uma boa prática. O ideal é que quer a inspiração quer a expiração sejam feitas pelo nariz. Ah, mais uma coisa. Sabe o que é a chamada dor de burro? Aquela dor acutilante que surge no baixo-ventre?

Essa dor é causada pelo baço, um órgão onde o corpo armazena alguns glóbulos vermelhos encarregues de transportar o oxigénio através da corrente sanguínea. Com o esforço, surge a necessidade de recorrer a esta reserva.

Para evitar este desconforto, deve-se fazer um aquecimento mais completo, com uma fase de aumento gradual da intensidade do esforço, de forma a preparar o organismo, e a evitar a dor. Quando, apesar dos cuidados, ela aparece, o que há a fazer é manter ou reduzir ligeiramente o esforço e tentar respirar correctamente, evitando a contracção dos abdominais.

Os cuidados a ter antes de uma corrida

Correr ou fazer jogging pode ser uma boa opção ao ginásio. Mas cuidado porque convém fazê-lo com alguma orientação:

- Escolha o terreno onde vai correr.
- Opte por calçado adequado Não exceda o tempo recomendado de treino.
- Não use roupa que a faça suar de forma exagerada.
- Beba água Respire pelo nariz.
- Oiça o seu corpo.

Texto: Susana Marvão

artigo do parceiro:

Comentários