Estamos a chegar ao Natal, que vinho oferecer?

Pode não ser tarefa fácil oferecer um vinho. Tal como um perfume ou uma peça de vestuário (peúgas não contam para o caso!), é algo que depende muito do gosto pessoal de cada um. Vou tentar dar-lhe uma ajuda, para facilitar o ato da compra neste Natal.

Comece por sondar as preferências vínicas da pessoa em questão, se for um familiar, tanto melhor, se calhar até já tem uma ideia das preferências de vinho do seu sogro, da sua mãe ou cunhado. Sabe, por exemplo, que ele prefere o Alentejo, ela aprecia os vinhos do Dão e o seu cunhado que está agora a começar a beber vinho, ainda não tem uma preferência definida, vai provando um pouco de tudo.

Se por outro lado, for um familiar distante, ou uma colega de trabalho, que tal dar uma olhadela ao perfil no Facebook dessa pessoa?

As prendas de Natal requerem-se sempre especiais e com qualidade acima do dia-a-dia, pelo menos, no que a vinhos diz respeito. Há quem prefira oferecer um conjunto de três garrafas, outras pessoas baseiam-se em “oferecer uma garrafa de 50,00 euros” independentemente do vinho, há outras ainda que optam por oferecer uma garrafa Magnum (1,5 Lt.) em caixa de madeira.

O certo é que você não vai oferecer ao seu familiar/amigo uma garrafa daquele vinho que costumam beber no restaurante, sempre que jantam juntos, pois não?

Portanto se até conhece as preferências, em termos de tipo de vinho, região ou mesmo produtor, tem a vida facilitada. Se há, por exemplo, uma preferência por um certo produtor, ofereça-lhe um vinho desse mesmo produtor, não o Tinto (ou Branco) Colheita, mas antes um vinho de gama superior. Vai identificá-lo pelos designativos de qualidade no rótulo, tais como Reserva, Garrafeira ou Grande Escolha.

Pode também optar por um vinho que seja mono-casta, ou seja, o vinho ter sido feito na sua totalidade, ou no mínimo de 85%, a partir de uma só casta (tipo de uva). Quase sempre o nome da casta vem referido no rótulo. As castas que mais andam na “boca” dos provadores são neste momento, em Tintas, a Touriga Nacional, Syrah e a Alicante Bouschet; e nas Brancas, as preferências vão para Encruzado, Alvarinho, Verdelho e Viognier.

Se a pessoa em questão está a começar a dar os primeiros passos no mundo vinho, porque não fazer uma seleção, entre três a seis garrafas de vinhos variados, entre Brancos e Tintos, incluindo um Espumante Natural ou um Vinho do Porto. Será certamente uma prenda apreciada (várias vezes) e um incentivo ao aumento da cultura vínica.

Não tem a certeza se prefere Branco ou Tinto? Ofereça uma garrafa de cada.

Ainda se sente inseguro e sem saber o que comprar? Tem receio de que a pessoa não goste do vinho? Compre um vinho premiado, muitos destes vinhos ostentam as medalhas (em autocolante) na garrafa, facto que valorizará a oferta.

Eu cá por mim, não me importava de receber estes vinhos no meu sapatinho!

Teresa Gomes

Sommelier OUT OF THE BOTTLE

Vinhos out of the bottle

artigo do parceiro:

Comentários