Mãe, pai, já estudei!

Eis uma frase que todos os pais conhecem. Grande parte das vezes ouvir esta frase significa “mãe, pai, já li”. E é ver os pais ­perplexos e pensativos interrogando-se como pode ter o filho já ter estudado se passou tão pouco tempo desde o momento em começou a estudar.

Pois bem. Se teve professores que o colocaram a estudar na aula fazendo-o pôr em prática várias formas de o fazer, o estudante foi­ aprendendo que estudar pode ser muita coisa, consoante a disciplina. Vai descobrindo que estudar Matemática é bem diferente de estudar História ou Ciências. Como se estuda para Português é uma pergunta que os estudantes me fazem e com razão, não sabem o que devem fazer. E talvez por isso é vulgar vê-los centrados no estudo da gramática. Ora os testes de Português e de outras línguas têm em geral uma parte de interpretação de texto(s), uma parte de gramática e uma parte de escrita. Então o que devem estudar e como ? Uma coisa é certa, para aprender línguas é preciso desenvolver a escrita.

Só se aprende a fazer fazendo.

Há estudantes que vão descobrindo por si como devem fazer, outros não e por isso têm de ser ajudados. Nem todos estudamos da mesma maneira e por isso é preciso ajudá-los a descobrir de que forma aprendem melhor. O que funciona para um estudante pode não funcionar para outro. Por isso vemos que há estudantes que se fecham no quarto a ler em voz alta, que gravam o que dizem quando explicam a matéria para depois corrigir, que pedem aos pais que leiam para eles ouvirem, que vão ver um filme em Inglês retirando as imagens para se centrarem no que ouvem. O que quero dizer é que estes estudantes descobriram que aprendem melhor ouvindo. E está certo o que fazem. Mas há outros que precisam fixar-se nas imagens e nos seus pormenores – em Ciências, em História, em Geografia... e escrevem, copiam o resumo, o esquema do livro enquanto estudam porque isso os ajuda a fixar. Ao verem o tal filme em Inglês deixam as legendas e retiram o som. Também está certo. Quem gosta de desenhar vai desenhando enquanto estuda, é a sua forma privilegiada de estudar, vai legendando e sempre que pode complementa apontamentos com desenho. Desenha de forma criativa o esquema que vê na página do livro. E acreditem que é muito interessante a forma como o fazem. Claro está que vemos estudantes que avançam rapidamente neste processo de descoberta, fazendo ora de um modo ora de outro, consoante as disciplinas e outros cujo ritmo é diferente mas sólido.

O que podem os pais fazer?

Começar desde o 1º ciclo a tomar atenção à forma como o filho estuda e conversar com ele para que vá tomando consciência de si. Se para ele estudar ainda é apenas ler, terá de o orientar a estudar de diferentes formas para que descubra aquela que assenta no seu perfil de aluno mas também de pessoa. Porque antes de sermos alunos somos pessoas, idênticas e diferentes, e o desafio ( para todos nós) é lidar com estas duas ideias ao mesmo tempo. Desse modo, os pais não se ficam apenas pelo estudante, mas pelo seu filho enquanto pessoa inteira.

Maria de Lurdes Monteiro

aescolanaoetudomasquase.blogs.sapo.pt

Comentários