Estilos parentais

Qual é, afinal, a melhor forma de educar uma criança?

A educação das crianças poderá revelar-se como um desafio do nosso dia a dia, à medida que vão crescendo.

São pessoas pequenas com vontades fortes, no entanto, com muito para aprender sobre o mundo que as rodeia. E é aqui, neste momento, que os pais se deparam com dúvidas sobre a melhor forma de as educar.

Da mesma forma que querem que os seus filhos se tornem indivíduos fortes, que consigam tirar prazer da vida, também querem que os mesmos atinjam os seus objetivos, lutem por eles e vivam de forma harmoniosa. Então, eis que se coloca a questão. Haverá uma forma de educar mais eficaz que outra? Estilo parental é o conjunto de atitudes que os pais têm para com a criança, sendo estas independentes do contexto de socialização e possam ser evidenciados num largo e diversificado conjunto de interacções entre os pais e filhos.

Assim, e segundo a literatura, podemos tipificar os estilos parentais como:

Autoritário

Estilo parental que atribui maior enfoque ao controlo e à obediência. Definido como impositivo e/ou hostil, assume-se como indiferente às vontades e interesses da criança. Procuram com que a criança adopte determinado padrão de conduta, sendo punidas violentamente pelo seu não cumprimento.

Os pais caracterizam-se como menos afectuosos e mais desligados, sendo os filhos, por norma, mais desconfiados, inibidos e insatisfeitos. Este estilo parental manifesta-se, por exemplo, quando o pai não permite que um filho questione qualquer decisão da parte dele ou quando os pais defendem a ideia de que os mesmos devem usar a força caso as crianças não se comportem como esperado.

Democrático

Estilo que respeita a individualidade da criança e, simultaneamente, investe na aquisição de valores sociais. Procura o envolvimento activo da criança na tomada de decisão da família. Os pais caracterizam-se como exigentes mas afectuosos, consistentes na afirmação de valores e aptos a aplicar uma punição ponderada (mesmo que seja o bater ocasional e de forma ponderada).

De igual forma, explicam o raciocínio inerente aos seus valores e promovem a troca de opiniões. As crianças tendem a revelar-se mais assertivas, confiantes e controladas. Este estilo  manifesta-se quando, por exemplo, os filhos discordam de determinadas regras e os pais estão receptivos ao diálogo e negociação das mesmas.

Comentários