Estudo relaciona riso dos bebés com a aprendizagem

Brincadeiras que estimulam o riso ajudam na interação com as pessoas.

Quem já resistiu à tentação de fazer um bebé sorrir, seja fazendo gracinhas, com brincadeiras ou brinquedos? Com o projeto The Baby Laughter, o psicólogo britânico Caspar Addyman realizou um estudo com quase 700 pais de crianças menores de 2 anos de todo o mundo que responderam a um questionário online sobre as mudanças e novidades no riso dos bebés.

 

O estudo procurou mostrar que o riso está diretamente ligado ao conhecimento cognitivo das crianças, seja em relação ao próprio corpo – desde muitos novos, a maior parte dos bebés diverte-se com cócegas e com brincadeiras de virar ao contrário – ou em relação a um conhecimento maior do mundo.

 

«Estudar o esforço que os bebés fazem para adquirir uma habilidade como a fala, a interação social e até aprender a andar mudou a perspetiva da psicologia em relação às habilidades dos adultos que poderiam passar despercebidas. Nós esperamos que com este estudo científico sobre o riso dos bebés influencie novas teorias sobre o riso e o humor dos adultos», disse em comunicado o autor da investigação.

 

Além disso, o estudo mostra também que a velha brincadeira de se esconder atrás das mãos e reaparecer não só é um sucesso com bebéss de todas as nacionalidades, mas também os ajuda a entender melhor a interação com outras pessoas.

 

Para as crianças menores de 6 meses, o facto de uma pessoa desaparecer e de repente reaparecer à frente dela causa uma surpresa genuína. A partir dessa idade, os bebés começam a entender melhor as interações sociais causadas pelo jogo. E, quando mais velhos, não só já entenderam o funcionamento como parecem brincar apenas para que os adultos se divirtam.

 

A investigação ainda está em desenvolvimento e tenta responder a uma pergunta: os bebés aprendem a sorrir ou sorriem ao aprender? Pode fazer parte deste estudo respondendo ao formulário no site oficial da investigação.

Comentários