Sexualidade feliz na gravidez

Aprenda a tirar o maior partido

Para muitos casais, ter relações sexuais durante a gravidez acaba por ser mais traumático do que libertador.

 

Vítor Cotovio, psicoterapeuta, explica as mudanças que podem ocorrer na vida sexual do casal quando decidem ter um filho e dá conselhos para gerir situações de crise:

 

Novidade
O desejo de engravidar e de ter um filho juntos pode, só por si, trazer um novo entusiasmo à vida sexual.

 

Descontracão
O receio de uma gravidez não desejada desaparece e a sexualidade torna-se mais descontraída e fluída, especialmente se antes existiam condicionalismos ligados ao método anticoncepcional usado, como a colocação do preservativo ou a perda de libido provocada por alguns tipos de pílula.

 

Inquietação
A descontração inicial pode ser substituída por uma tensão em casais muito ansiosos, quando não conseguem engravidar logo nos primeiros meses.

 

Mal-estar
O fantasma da infertilidade pode condicionar a forma como cada um olha para o outro (Será que ele/ela é infértil?), afetando o clima afetivo.

 

Infertilidade
A possibilidade de haver um problema de fertilidade no homem pode pôr em causa a sua masculinidade, ao ponto de, nalguns casos, condicionar o desempenho sexual, em termos de ereção. 

 

O que devem fazer:


- Informar-se
Fale com o seu médico sobre os vários cenários possíveis para evitar alimentar a fantasia de que a gravidez vai surgir logo no primeiro mês ou o mito de que se isso não acontecer é sinal de que há algum problema.

 

- Comunicar
Para se sentir mais sereno, é muito importante que o casal se permita ir comunicando um com o outro acerca das inquietações que possam sentir.

 

- Descontrair-se
Viva a sexualidade de uma forma serena. Quanto menor for a tensão ligada à expectativa de ter um filho maior é a probabilidade disso acontecer. 

 

Para saber mais sobre sexo na gravidez, clique aqui e faça o teste.

artigo do parceiro:

Comentários