Diagnóstico Pré-Natal – Rastreio Combinado 1º Trimestre (II)

Quando deve ser realizado o Rastreio Pré Natal- Rastreio combinado do 1º trimestre?

O Rastreio Pré Natal- Rastreio Combinado do 1º trimestre deve ser efetuado entre a 11ª semana e a 13ª semana + 6 dias de gestação. O seu resultado é expresso em risco, nomeadamente, Alto Risco, rastreio positivo e Baixo Risco, rastreio negativo. O resultado indica o risco que o feto tem de nascer com trissomia 21 ou outras anomalias cromossómicas.

O que é um Rastreio positivo ou negativo?

Se o exame apresentar um resultado rastreio positivo, significa que tem uma elevada probabilidade de ter um feto com uma malformação (há 3% de falsos positivos). Nestas situações pode juntamente com o seu médico estudar a possibilidade de efetuar uma amniocentese. Caso o exame apresente como resultado rastreio negativo, quer dizer que tem uma baixa probabilidade de ter um feto com as malformações, mas não assegura um bebé normal. Nestas situações não deverá ser necessário fazer uma amniocentese, de qualquer forma é recomendado o aconselhamento por parte do seu médico.

O que é um Diagnóstico definitivo?

O diagnóstico definitivo das malformações referidas só pode ser feito através de exames invasivos, como a biópsia das vilosidades coriónicas ou a amniocentese, que permitem a recolha de células onde se estuda o cariótipo do bebé. A biópsia das vilosidades coriónicas permite o diagnóstico cromossómico pré-natal e consiste, em vez de líquido amniótico (como na amniocentese), na extração de uma pequena amostra das vilosidades do córion, ou seja, uma amostra da placenta.

São métodos invasivos, que obrigam à introdução de uma agulha dentro do útero, e que como tal acarretam, só por si, riscos de aborto (0,5 a 1,0%). Só deverão ser efetuados em gravidezes consideradas de risco para defeitos cromossómicos.

Comentários