Como funciona o útero na gravidez

A capacidade de dilatação e a força deste órgão muscular permitem-lhe expandir-se até acomodar um feto de nove meses e contrair-se no parto para o impulsionar

Pregnant woman lying on back

Todos os meses, o endométrio, uma mucosa glandular, prepara-se para acolher o embrião nos estados iniciais de gravidez até à formação da placenta. Após a fecundação do óvulo, a parede do endométrio desenvolve-se, produzindo um ambiente rico em nutrientes que permitem a implantação do embrião e proporcionam substâncias (como açucares e proteínas) que promovem o seu crescimento. Desde o início, e com maior velocidade a partir das 24 semanas de gestação, as células musculares do miométrio começam a expandir-se, crescendo o segmento superior do útero, que, separado do colo do útero pelo segmento inferior, vai contrair durante o parto, enquanto o colo dilata.

Após o parto, o útero retorna ao seu tamanho normal, ainda que as suas dimensões aumentem em todas as direções, ficando mais pesado e com a cavidade uterina mais larga. Durante a gestação, a vigilância é fundamental. Além das consultas regulares, é necessário realizar alguns exames:

- Análises de sangue e urina são solicitadas em todos os trimestres.

- As ecografias também integram a lista. Realizam-se, no mínimo, três ao longo da gravidez, para avaliação do feto às 12 semanas, entre as 20 e as 22 semanas e entre as 32 e as 34 semanas de gestação.

- A cardiotocografia (CTG), realizada no final da gravidez e durante o parto, serve para avaliar se há sinais de sofrimento fetal e a regularidade das contrações.

- A amniocentese é realizada quando há um risco aumentado do feto ser portador de alterações dos cromossomas que possam interferir significativamente com o seu desenvolvimento, como a trissomia 21.

Texto: Catarina Caldeira Baguinho com Alexandre Lourenço (consultor em ginecologia e obstetrícia no Hospital de Santa Maria em Lisboa)

artigo do parceiro:

Comentários