O seu filho não quer comer?

10 soluções para situações muito comuns

A  hora de comer pode ser uma verdadeira batalha para muitos pais. Seja porque os filhos não gostam da comida, lhes doi a barriga, não têm fome ou fazem birras à mesa.

 

Segundo Carla Rêgo, pediatra especialista em nutrição, «o comportamento alimentar é apenas uma das facetas do comportamento em geral».

 

«Advém da própria partilha de experiências entre os cuidadores e a criança, desde os primeiros momentos de vida», acrescenta. Portanto, «desde a relação da mãe com o alimento, à capacidade de entender a oferta de alimento como algo natural e que deve seguir um ritual único, tranquilo e espontâneo, passando pelo respeito pelas próprias regras familiares», sublinha.

 

«Tudo isto modela o comportamento da criança e o seu relacionamento com o alimento», refere ainda. Nesse sentido, identificámos os principais problemas de comportamento que surgem à mesa e qual a melhor forma de os solucionar.

 

O que fazer quando...


1. Diz «não gosto»

 

O problema: Recusa-se a comer porque «não gosta» da comida que lhe é servida.

A solução: «A criança só diz que não gosta se já o viu fazer ou se já o fez e daí resultou proveito para si. Todos temos o direito de gostar mais de umas coisas do que de outras na vida. O que não temos é o direito de não fazer aquilo que deve ser feito, neste caso, comer os alimentos preparados para a refeição da família», esclarece a pediatra. E não se deixe convencer a trocar o alimento por outro, cedendo às preferências da criança, pois segundo a pediatra, «só escolhe quem tem alternativa, quem não tem aprende a comer de tudo».

 

2. Não quer comer sozinho

O problema: Pede para lhe cortar a comida em pedaços ou dar-lha à boca.
A solução: A criança deve ser incentivada a perceber que é capaz de comer pelas próprias mãos. Use a sua imaginação e criatividade. «Com calma e a brincar vá mostrando que os adultos, que são o seu exemplo, comem sozinhos e que eles são capazes do mesmo. Através de jogos, acordos a brincar, mas sobretudo de incentivo e estímulo», aconselha a especialista.

 

3. Não quer ir para a mesa

 

O problema: Continua a brincar, ignorando o aviso para se sentar à mesa.

A solução: mesmo que obrigue a interromper a brincadeira, não deixe de fazer respeitar a hora da refeição. «A criança não manda e só nega vir para a mesa se isso lhe for permitido. Educar implica necessariamente saber quem manda e quem obedece e toda a envolvência da alimentação é suportada na educação. Uma criança que recusa vir para a mesa quando a chamam está a desobedecer», alerta Carla Rêgo. Para prevenir essa situação, experimente, por exemplo, avisá-la com cinco minutos de antecedência.

Comentários