Ludoterapia

Veja porque é (mesmo) importante que o seu filho brinque

Brincar 30 minutos por semana com o seu filho pode ser suficiente para resolver problemas de comportamento.

 

Basta aprender a brincar. Da próxima vez que chegar a casa, por muito stressado que esteja com os problemas do trabalho, respire fundo e olhe para o seu filho.

 

Já está a dormir ou a brincar sozinho? Então faça um esforço e tente reservar 30 minutos por semana só para brincarem os dois. Os especialistas acreditam que bastam 30 minutos semanais para conseguir mudar a sua vida e a do seu filho. Não é muito, pois não?

Poderá pensar «mas já brinco diariamente com ele e não noto mudanças no seu comportamento». A questão reside no tipo de brincadeiras que têm durante esse tempo. «Investigadores de várias universidades confirmaram que, quando os pais passam 30 minutos por semana a brincar com os filhos, muitos dos problemas de comportamento dos mais novos são corrigidos. A autoestima aumenta e aprendem a ser mais auto-controlados e disciplinados» refere Garry Landreth, diretor do Centro de ludoterapia da Universidade de North Texas, nos Estados Unidos da América.

Segundo os seus colegas, alunos e pacientes, Garry Landreth é um dos responsáveis por tornar o mundo um lugar mais seguro para as crianças, graças ao trabalho pioneiro com a ludoterapia, um método que faz uso dos brinquedos para criar situações seguras para as crianças expressarem os seus sentimentos, pensamentos e experiências.

Aprender a brincar

Segundo o especialista norteamericano, a ludoterapia pode ser definida como «um relacionamento dinâmico interpessoal entre uma criança e o terapeuta especialista em procedimentos de ludoterapia, que fornece brinquedos especiais e facilita o desenvolvimento de uma relação segura para a criança, de forma a que esta explore e expresse ao máximo os seus pensamentos, emoções, experiências e comportamentos através da brincadeira (a forma mais natural da criança comunicar) para um bom crescimento e desenvolvimento».

Diálogo figurado

A maior parte dos adultos consegue expressar os seus sentimentos, frustrações, ansiedades e problemas pessoais através da fala. Para as crianças, o ato de brincar assume essa forma de expressão. «Os brinquedos são usados como palavras e o ato de brincar é a sua linguagem» explica Garry Landreth. «Através da manipulação dos brinquedos, a criança consegue expressar melhor os sentimentos, assim como o significado das pessoas e dos acontecimentos à sua volta», acrescenta.

Comentários