Do que as crianças precisam para aprender

Nunca como hoje os mais pequenos estiveram expostos a tanta coisa. Saiba como ajudar os seus filhos a absorverem informação com alegria e a alcançarem um futuro de sucesso

Depois da idade dos porquês é preciso mais do que a curiosidade para as crianças terem aproveitamento escolar. Para haver motivação escolar têm de estar reunidos certos aspetos emocionais e sociais. «Crianças que desde pequenas vêem a sua curiosidade ser estimulada, e ouvem os pais a falar com prazer do conhecimento e da aprendizagem, mais facilmente se automotivam para aprender», avança Inês Afonso Marques, psicóloga infantil da Oficina de Psicologia.

Igualmente, ter um adulto ao lado que compreenda as dificuldades da criança e que seja capaz de reconhecer as suas capacidades, permitir-lhe-á atingir mais rapidamente os objetivos. Assim, de acordo com a psicóloga, «um professor que consegue cativar os alunos, recorrendo a diferentes estratégias de ensino consoante a necessidade dos seus alunos», também motiva as crianças a serem mais autónomas nos seus estudos.

Autoestima académica

O ensino está dependente de vários fatores para produzir os resultados desejados. A pobreza aliada a uma baixa frequência das aulas e a uma influência parental negativa constituem as principais causas do insucesso e do abandono escolar. Por isso, quanto melhor for a qualidade das relações familiares de um aluno, na grande maioria dos casos, melhores serão o seu aproveitamento e as interações com colegas e professores. James P. Comer, autor norte-americano, escreveu no livro «What I Learned in School» que «não pode haver aprendizagem sem uma relação importante».

E, efetivamente, o caminho para o autoconhecimento passa, sobretudo, pela forma como interpretamos as nossas relações e as dos outros. Todos tivemos um adulto que deixou um marco positivo na nossa vida, seja um familiar ou um professor. Com sorte, os dois! É mais difícil aprender quando não se gosta das pessoas que ensinam, mas um aluno com a atitude errada também dificulta o trabalho do professor.

Ferramentas de estudo

Ter curiosidade é fundamental para o processo de aprendizagem. Colocar questões não só ajuda a assimilar melhor os dados, como facilita a instrução. As perguntas aproximam os alunos dos professores e dão-lhes confiança. Porém, questões por si só não bastam. O passo seguinte no processo da aprendizagem também é essencial e apresenta os maiores obstáculos para os mais pequenos. Testar, errar, corrigir, repetir. Exige que os alunos não tenham medo de arriscar e que não se deixem desanimar pelos desafios.

E, uma vez ultrapassadas as dificuldades, o momento de revisão da matéria deve levar as crianças a refletirem sobre o que estão a estudar, desenvolver a capacidade de resolução de problemas, e espicaçar a imaginação. «Os métodos e hábitos de estudo podem começar a ser estimulados com o início do ensino mais formal, logo no primeiro ciclo», diz Inês Afonso Marques. Além de estabelecer rotinas, torna-se importante incentivar a criança a fazer os trabalhos de casa num determinado espaço, onde tenha à sua disposição as condições necessárias para completar as tarefas sem distrações.

Segundo a especialista, os pais e os professores devem orientar e sugerir técnicas de estudo, como sublinhar, resumir e esquematizar a informação, «à medida que as exigências em momentos de avaliação aumentam». Fernando Alberca, autor de «Todas as Crianças Podem Ser Einstein», defende que acima de tudo as crianças «devem aprender a ler bem, aprender que tudo tem consequências e que o esforço produz resultados».

Veja na página seguinte: Ferramentas que ajudam as crianças a ser mais autónomas

Comentários