Bebidas de soja na infância

São ou não são vantajosas para as crianças em alternativa ao leite e à lactose? Alva Seixas Martins, nutricionista, explica a composição nutricional destas bebidas

Maria Beatriz, filha de Laurinda Pires, nunca foi à bola com o leite desde bebé. «A minha filha tem três anos e, desde os 18 meses, gosta de sumo de soja. Bebe mais de um litro por dia. Não gosta de leite nem derivados, já tentei leite de soja e ela também resiste. Ela praticamente não come nada, só bebe o sumo, mas o desenvolvimento é normal e tem bastante energia. O que me preocupa é o composto idêntico ao estrogénio. É prejudicial?», interroga-se esta auxiliar de ação educativa de Rio Tinto.

Existem no mercado variações de sumos de soja em função das marcas, mas os valores médios rondam os 45 a 55 Kcal /100 ml, «o que representa mais do que um terço das necessidades energéticas diárias de uma criança», alerta a nutricionista Alva Seixas Martins. «A maioria dos produtos, ao contrário do que o nome sugere, não é mais do que um comum refrigerante ou néctar, tendo por isso um diminuto valor nutritivo». A lista de ingredientes deste tipo de bebidas inclui água mas não só.

Inclui também «sumo de frutos à base de sumo concentrado (dez a 20 por cento, em média), açúcar (de cana, frutose ou dextrose), feijões de soja (dois a quatro por cento, em média), estabilizantes (pectina e agar-agar), reguladores de acidez (ácido láctico e ácido cítrico) e aromatizantes naturais, incluindo o sal. A composição nutricional média apresenta valores de proteínas entre 0,5 a 2 g; lípidos (entre 0,2 e 1 g) e 10 g de hidratos de carbono dos quais 9 g são açúcares e 0,0 g é lactose», esclarece a nutricionista.

Como se pode verificar pela lista de ingredientes e informação nutricional, os sumos ou sucos de fruta com soja «têm demasiados açúcares», adverte a especialista. «Os sumos ou sucos de fruta com soja não são um substituto aceitável para o leite ou bebida de soja enriquecida em cálcio (e de preferência, em vitaminas D e B12), ou  para o leite de vaca. Bebidas de soja na infância contêm cálcio e são pobres em proteína, não sendo um substituto aceitável para o leite ou bebida de soja enriquecido em cálcio (e de preferência, em vitaminas D e B12) ou para o leite de vaca», diz.

«Se a intenção for substituir os laticínios, o leite de soja deve fornecer, por cada 100 ml, cerca de 45 kcal, 3,5 g de proteínas, 3 g de glícidos ou hidratos de carbono, 120 mg de cálcio e 0.05 ug de vitamina D. Ainda que tenham um conhecido potencial alérgico, os leites à base de soja são uma das alternativas recomendadas por pediatras a bebés filhos de pais vegan, com alergia às proteínas do leite de vaca ou intolerância à lactose. Quanto ao teor de fitoestrogénios, estes variam entre 1 a 2 mg/100 ml (quanto maior a quantidade de proteína, maior a de isoflavonas)», informa.

Seja como for, seria necessário beber quase dois litros de sumo de fruta com soja para obter as isoflavonas fornecidas por uma chávena de leite de soja. «O sumo de fruta com soja pode roubar espaço para alimentos essenciais ao desenvolvimento de uma criança e pode originar um problema grave de comportamento alimentar, ao habituá-la a uma alimentação doce e líquida», elucida ainda a nutricionista.

artigo do parceiro:

Comentários