As crianças doentes devem rir e há coisas que os pais podem fazer para lhes arrancar mais gargalhadas

Estudos internacionais comprovam que as que riem muito tendem a ser mais saudáveis. Pedro Fabião, um dos Doutores Palhaços da Operação Nariz Vermelho, dá uma série de dicas.

Os Doutores Palhaços fazem parte da Operação Nariz Vermelho, uma instituição de solidariedade social que oferece, a alguns hospitais portugueses, um programa de intervenção nos serviços pediátricos, através da visita de palhaços profissionais. São artistas especializados no meio hospitalar, que realizam atuações adaptadas a cada criança e a cada situação. A equipa é habitualmente constituída por 22 Doutores Palhaços, mais nove profissionais que trabalham nos bastidores, que garantem visitas semanais, durante 42 semanas por ano, às crianças hospitalizadas.

Durante essas visitas, procuram melhorar o seu estado de espírito, distribuindo-lhes sorrisos, bem como aos pais. Estudos internacionais comprovam que as crianças que riem muito tendem a ser mais felizes, saudáveis e até equilibradas. Pedro Fabião, o Dr. Cámóne da Operação Nariz Vermelho, deixa uma série de conselhos que os pais devem implementar para fazer rir os mais pequenos em casa, sobretudo quando estão doentes.

«As crianças leem o mundo através do modo de entendimento que os pais lhes possibilitam», acabando por «copiar ou compensar a forma como os progenitores» o vivem, refere Pedro Fabião, que aponta várias dicas para animar uma criança que tem de ficar em casa por não estar bem de saúde:

- Ascender ao nível das crianças

Os pais devem lembrar-se que a vida é demasiado importante para ser levada a sério. Por isso, «devem ascender ao nível das crianças», recomenda o animador.

- Dar tempo

«Todas as crianças têm um lado que está disponível para brincar. Às vezes, pode ser só uma frincha entreaberta», afirma Pedro Fabião. Cabe aos «pais darem-lhes tempo e saber abri-la», adverte.

- Dar atenção e amor

Tendo essa base, «elas fazem o resto no que à animação diz respeito», avança ainda o palhaço.

Palhaçadas para adultos

Além de alegrarem as crianças, os Doutores Palhaços têm também em conta a família das crianças hospitalizadas. «Temos uma admiração infinita pelos pais», refere Pedro Fabião. «Também a eles damos a possibilidade de respirar um pouco um ambiente menos dramático. Normalmente, não é difícil», sublinha.

«Os portugueses, ao contrário do que muitos pensam, gostam de rir. Compreendem a importância que o riso tem para a nossa sobrevivência», adianta ainda. Para saber mais sobre a atividade deste coletivo, leia também a vida de um Doutor Palhaço na primeira pessoa e veja a galeria de imagens que retrata a alegria que os Doutores Palhaços não se cansam de levar às crianças.

Texto: Catarina Caldeira Baguinho com Luis Batista Gonçalves (edição online) e Artur (fotografia)

artigo do parceiro:

Comentários