Fábia Rebordão perdeu 45 quilos

No último ano, a fadista, que fez furor na terceira edição do programa «Operação triunfo», ficou quase irreconhecível. Saiba o que mudou no percurso desta estrela em ascenção

Aos 15 anos, a sua voz já acompanhava a guitarra portuguesa nas casas de fado de Lisboa, como a Tasca do Chico no Bairro de Alfama ou a Taverna do Embuçado no Bairro Alto. O ambiente místico e a nostalgia das músicas, que associava aos amores e desamores da adolescência, fascinaram-na e arrastaram-na para um percurso profissional na música. Hoje, 16 anos depois de pisar um palco pela primeira vez para cantar fado, Fábia Rebordão considera-se uma cantora versátil.

O fado é apenas um dos géneros musicais que gosta de cantar, pois diz precisar de mais ritmicamente. O seu novo álbum vem mostrar, precisamente, essa sua versatilidade. De sorriso rasgado e olhar intenso, Fábia Rebordão é uma mulher determinada, que coloca toda a sua força em cada objetivo que  traça, e não teme novos desafios. Não foi por acaso que, em 2012, o seu primeiro álbum «A Oitava Cor», mereceu o Prémio Revelação nos Prémios Amália.

Na altura, o júri descreveu-a como uma estrela em ascensão. O caminho que já conquistou até aqui, a sua força natural e as perspetivas que tem traçadas para o futuro são prova disso mesmo. Hoje, com uma nova imagem, depois de ter perdido 45 quilos, revela os momentos mais marcantes da sua carreira, a evolução do fado e as novas vozes portuguesas que considera brilhantes.

Desde criança que tinha excesso de peso e, até há dois anos, em 2013, pesava cerca de 100 quilos. Hoje, tem menos 40. O que a levou a fazer dieta ao fim de tantos anos?

Desde muito nova, que tentava fazer dietas, mas nunca eram bem-sucedidas. Desta vez resultou, porque estava realmente motivada. A idade também é outra e sempre tive em mente aquela frase que diz que depois dos 30 anos, não há nada a fazer. Percebi que estava a aproximar-me da idade limite para mudar a minha imagem e penso que isso também contribuiu para tomar esta decisão.

Houve algum momento clique para a mudança?

Sim, nos Prémios Amália, em 2012. Quando vi as minhas fotografias da gala, não queria acreditar… Estava enorme!  E foi nesse preciso momento que decidi que tinha de fazer alguma coisa… Um mês depois, em dezembro, estava a iniciar o tratamento da Lev. Lembro-me de ter tomado a decisão de passar o Natal sozinha, só para não correr o risco de cair em tentação e cumprir a dieta à risca. Em 10 dias, perdi cinco quilos. Em dois meses, perdi 20 e, em seis meses, perdi 40.

O que é que a fez nunca desistir da dieta?        

O meu foco era diário e não a longo prazo. Preocupei-me sempre em viver a dieta, dia após dia, subindo um degrau de cada vez… Depois, agarrei-me aos resultados, que foram imediatos e muito evidentes. Ao longo da minha vida, sempre estive muito limitada relativamente à roupa que vestia. À medida que fui emagrecendo, percebi que a roupa que eu gostava e que nunca tinha conseguido vestir, me assentava bem e a motivação foi ficando maior.

Veja na página seguinte: O que mudou na vida de Fábia Rebordão com a nova silhueta

Comentários