Turista saudável

Os cuidados essenciais que deve ter ao nível da alimentação e higiene, especialmente em zonas quentes, húmidas e pobres do planeta

O que mais gostamos de trazer das viagens que fazemos são boas experiências, memórias e recordações. Existem, todavia, muitos fatores que não controlamos, capazes de nos arruinar as férias ou até meras viagens e deslocações de trabalho.

Existem, também, regras muito simples que podemos adotar e que fazem a diferença entre uma estadia bem sucedida e saudável e um final menos feliz.

São precisamente esses cuidados que encontra de seguida e que o podem ajudar a evitar problemas como a diarreia do viajante ou doenças provocadas pela picada de mosquitos. Tenha em atenção que os países dos continentes africano e asiático (exceto Japão), leste da Europa (Turquia e novos países da antiga URSS) e América Latina e do Sul são zonas onde o cumprimento destes cuidados é muito importante.

Alimentação

- Não beba água sem ser engarrafada (aberta à sua frente) ou fervida.

- Não ingira alimentos crus ou mal cozinhados, exceto fruta e verduras que possam ser descascadas por si.

- As carnes de aves e os ovos só devem ser consumidos se estiverem bem cozidos.

- Evite o consumo de alimentos e bebidas nos mercados ambulantes.

- Se não souber a sua origem, não utilize gelo.

- Não chegue à refeição com muito apetite porque senão perde as capacidades de recusar alimentos em más condições.

- Tenha uma reserva alimentar no quarto para comer caso não o tenha feito à refeição.

- Prefira a carne, peixe ou marisco confecionados de forma simples, que lhe permitem perceber, através do odor ou sabor, se estão ou não em boas condições. Molhos e temperos muito acentuados tendem a disfarçar esse perigo, pelo que são de evitar sempre que possível.

- Prefira restaurantes que tenham mais pessoas, pois deverão ter maior rotatividade de alimentos e, logo, mais frescos.

Comentários