Tradição e modernidade num monte tipicamente alentejano

A cerca de uma hora da capital, o Monte da Ravasqueira, no concelho de Arraiolos, beneficia de boas acessibilidades. E até tem um museu particular de arreios e atrelagens!

Com uma área de 3.000 hectares, este conjunto agrícola pertence à família José de Mello há várias gerações. Aliando tradição e modernidade, o Monte da Ravasqueira, também conhecido como o monte, antiga designação para assento de lavoura,localiza-se numa unidade de paisagem designada por montados e campos abertos do Alentejo central. Estamos situados no grandioso planalto alentejano, com afloramentos graníticos sobressaindo na paisagem suavemente ondulada.

Além de manchas extensivas de culturas arvenses de sequeiro, saltam à vista montados de sobro e azinho e pastagens, que em complemento do olival e, mais recentemente, da vinha conferem uma forte identidade e especificidade a esta paisagem alentejana que até os turistas estrangeiros já aprenderam a apreciar. A propriedade é reconhecida pela qualidade dos vinhos que produz, mas também pelas experiências pedagógicas ligadas ao vinho que promove. Veja a galeria de imagens do Monte da Ravasqueira.

O conjunto arquitetónico do empreendimento é constituído por um aglomerado de construções. Este conjunto ocupa um local predominante na paisagem, cujas encostas são ocupadas por vinhas, montado (um milhar de hectares), olival e, na zona mais baixa, os freixos e a galeria ripícola acompanham a linha de água. Esta localização beneficia das condições climáticas e geológicas existentes, um equilíbrio funcional e ecológico que se reflete na produção «do melhor vinho que o Alentejo pode oferecer», asseguram os proprietários.

A famosa adega

Nesta unidade agrícola, além de produtos como a cortiça, o azeite e o mel, outra das fontes de rendimento provém dae criação de gado bovino e de porco preto alentejano. Estes sistemas diversificados de produção de elevada qualidade estão em sintonia com a paisagem, e resultam das dinâmicas do passado e das atuais, como no caso da moderna produção vinícola aqui existente. Um dos seus maiores atractivos é, no entanto, a famosa adega.

Esta infraestrutura, separada do restante conjunto agrícola está rodeada por vinhas resultantes de um forte investimento na plantação de novas castas. Desde 2012, um novo conceito de terroir, iniciou a viticultura de precisão. Segundo os seus responsáveis, a adega foi inspirada em Napa Valley  na Califórnia (EUA) e está apetrechada com a mais moderna tecnologia. As caves da adega, com os pipos alinhados, apresentam um ritmo de colunas e arcos abatidos, caraterísticos do Alentejo.

Enoturismo, restaurante e loja

Como complemento das atividades agrícolas, organizam-se visitas guiadas, com possibilidade de dormida no monte. A Sala dos Azulejos oferece possibilidade à organização de eventos e reuniões de empresas. O restaurante transforma os produtos locais em menus especiais, num ambiente das antigas casas de lavoura. Na loja, adquire-se toda a gama dos vinhos Monte da Ravasqueira, mas também azeite e mel, sob a mesma designação, além de compotas e outros produtos com a mesma autenticidade dos produtos da terra.

Veja na página seguinte: A (outra) joia da coroa

Comentários