Requinte palaciano com vista para o mar

O antigo palácio do conde de Arrochella e de Castelo de Paiva foi convertido num hotel de charme de cinco estrelas, o Hotel Vila Galé Collection Palácio dos Arcos

Durante anos, passou praticamente despercebido a muitos dos que circulavam pela Avenida Marginal em direção a Cascais, mas acaba de recuperar o glamour de outros tempos. Foi do Palácio do Paço, como o povo chamava ao Palácio dos Arcos, em Paço de Arcos, que o rei  D. Manuel I viu partir as naus e as caravelas portuguesas para a Índia no período dos Descobrimentos. Construído em finais do século XV, o edifício viria a ser reedificado durante o século XVIII. Depois da morte do conde de de Arrochella e de Castelo de Paiva, em 1997, o edifício passou para as mãos da Câmara Municipal de Oeiras.

Durante os anos em que deteve o imóvel, a autarquia não conseguiu travar o processo de degradação apenas interrompido nos últimos anos pelo Grupo Vila Galé. A empresa conseguiu a concessão do palácio e do extenso jardim que o envolve e iniciou um projeto de reconversão urbanística que resultou no Hotel Vila Galé Collection Palácio dos Arcos, inaugurado no dia 1 de maio de 2013. Veja a galeria de imagens deste hotel.

Novo e antigo em harmonia

O primeiro hotel de charme de cinco estrelas da companhia em Portugal, localizado no Largo Conde das Alcáçovas em Paço de Arcos, é composto por novos quatro blocos de edifícios com 71 quartos espaçosos e modernos decorados com poemas de autores portugueses, aos quais se juntam três quartos e duas suites de decoração mais tradicional construídos no edifício do palácio, aproveitando as divisões e algumas das mobílias originais.

A ligação entre as novas estruturas e o prédio recuperado é feita por galerias envidraçadas que, além de encher os edifícios de luz natural e de permitir uma vista constante para a piscina exterior e para o jardim, reduzem o impacto visual. O acesso à primeira dessas estruturas implica a passagem pelo coro da antiga capela com um altar barroco dedicado a Nossa Senhora do Rosário, também ela recuperada pelos novos dinamizadores do espaço.

Especialidades do chef

Além de estacionamento subterrâneo, uma galeria central, um spa com piscina interior, uma sala de prova de vinhos, uma biblioteca, uma sala de leitura e uma sala de eventos (a funcionar na antiga adega também ela recuperada) e de um bar, o hotel inclui ainda um hotel da marca Inevitável, com três salas com uma vista privilegiada para o Rio Tejo.

É nelas que se podem degustar algumas das especialidades do chef Francisco Ferreira, como é o caso do foie-gras com confit de cebola, o risotto de camarão com emulsão de coentros e o trio de créme brulée, delícias que figuram entre os pratos mais pedidos. Os jardins do hotel, a vila de Paço de Arcos, as praias da Linha de Cascais, o Aquário Vasco da Gama e a vila de Cascais são as atrações turísticas da região que não pode mesmo perder.

Veja na página seguinte: O ritual de spa que alivia o stresse

Comentários