13 trilhos para caminhar e desfrutar da natureza

Munido do calçado e da roupa adequados, de água e de protetor solar, viaje pelo mundo das passeios e das caminhadas. Em Portugal e lá fora!

Portugal presta-se a ser caminhado e são muitos os trilhos sinalizados de norte a sul do país, sem esquecer as ilhas, autênticos paraísos para quem gosta de andar em contacto direto com a natureza. Caminhar, o exercício mais natural do mundo, é uma atividade revigorante que dá acesso a locais que de outra forma seriam inacessíveis. Entre rios e ribeiras, paisagens verdejantes, cascatas e campos coloridos pelas flores da primavera, mostramos-lhe 13 locais onde pode andar durante horas ou até mesmo dias.

1. Rota do Glaciar

Localizado no Vale Glaciar do Zêzere, em Manteigas, em forma de U, o trilho acompanha o rio com o mesmo nome mas também as formações graníticas que povoam a Serra da Estrela. Prepare-se para ver os rebanhos e uma paisagem inesquecível. Este trilho tem uma extensão de 17,2 km e um dificuldade média.

2. Percurso de Seteais

Começa no Palácio de Seteais a escassos quilómetros de Sintra e conduz-nos ao parque e ao palácio da Pena e ao Castelo dos Mouros por entre a floresta, maioritariamente em trilhos de piso irregular. Aproveite para desfrutar da magnífica paisagem da Serra de Sintra ao longo destes 2,41 km. Atenção que a dificuldade deste trilho é alta.

3 . Rota das Conheiras

Com início em Sobral Fernando, o percurso tem esta designação porque nas margens do rio Ocreza encontram-se diversos amontoados de seixos que testemunham a extração de ouro na zona, nos arredores de Proença-a-Nova. Durante a primavera, a sua caminhada poderá ser interrompida por lontras, patos bravos, corvos marinhos e garças cinzentas. Este trilho tem uma extensão de 10,6 km e uma dificuldade média.

4. Chá Gorreana

Este percurso circular começa e termina junto da Fábrica de Chá Gorreana, passando no meio da verdejante plantação de chá. Um dos momentos altos deste trilho é a chegada à Casa do Mirante, em ruínas, com vista sobre a costa norte da Ilha de São Miguel. O percurso tem uma extensão de 6 km e é fácil em termos de dificuldade.

5. Trilhos da Preguiça

Traçados ao longo da encosta do Arnado, entre a Casa da Preguiça e a cascata de Leonte, estes trilhos, com 5,5 km e dificuldade média em pleno Gerês, dão-lhe uma boa perspetiva da barragem da Caniçada. Aprecie também o carvalhal, a floresta primitiva portuguesa.

6. Vereda do Areeiro

Liga os dois picos mais altos da ilha, começando no Pico do Areeiro, na ilha da Madeira. Ao longo do percurso, pode-se observar várias espécies de aves, a flora endémica da ilha como a urze e a violeta-da-madeira e várias grutas escavadas nos tufos vulcânicos. Este percurso tem uma extensão de 7 km e é considerado difícil em termos de dificuldade.

 7. Trilho dos Pescadores

Integra a Rota Vicentina, que liga Santiago do Cacém ao Cabo de São Vicente em Porto Covo e estende-se por 340 km. Este trilho, dividido em quatro etapas, está situado junto ao mar e recria os caminhos usados pelos locais para terem acesso às praias e pesqueiros. Este trilho tem uma extensão de 75 km e tem uma dificuldade média.

 Veja na página seguinte: Outros trilhos que pedem para ser percorridos a pé

Comentários