Arte portuguesa leva um milhão a visitar antiga cavalariça

Oito anos depois da mudança de Almada para Lisboa, o espaço cultural A Arte da Terra acaba de atingir uma marca histórica. Mais de 300 artistas nacionais e estrangeiros já expuseram no local

Pelo antigo edifício localizado ao lado da Sé de Lisboa, já com alguns séculos de história, passaram milhares de cavalos, ao longo dos tempos. «Aliás, foi para eles que o mesmo foi especialmente construído com todo o rigor», sublinha António Ramos, responsável pelo espaço cultural A Arte da Terra, um centro de exposições que é também uma loja, localizado na cavalariça da catedral lisboeta, em pleno centro histórico da capital.

No verão de 2006, vindo de Almada, este projeto de promoção das artes tradicionais portuguesas instalava-se neste sítio para se tornar numa montra da cultura portuguesa para o mundo, que cada vez mais atrai mais visitantes a Lisboa. Oito anos depois da mudança, acaba de registar um milhão de visitantes. «Este é um espaço onde tradição e modernidade se conjugam de forma inequívoca, com as obras de mais de 300 artesãos, escultores, estilistas, designers e joalheiros», acrescenta António Ramos.

Os lenços dos namorados, as sardinhas, o Santo António, o galo de Barcelos, o fado e Fernando Pessoa foram algumas das figuras e das temáticas que serviram de base a exposições temáticas que reuniram trabalhos de artistas contemporâneos e obras de museus convidados, no âmbito de «um longo e rigoroso trabalho de pesquisa e divulgação das artes portuguesas». Este espaço pode ser visitado na Rua Augusto Rosa, número 40.

artigo do parceiro:

Comentários