Os benefícios das hortas urbanas

Tem um terraço ou uma varanda? Então aproveite esse espaço para criar uma mini-horta! Veja o que precisa para começar e saiba quais os passos a dar

A agricultura urbana é mais do que uma moda. Veio para ficar e, para isso, nem é necessário ter muito espaço. «Um metro quadrado é o suficiente», diz Teresa Chambel, arquiteta paisagista e diretora da revista Jardins. Uma varanda ou um terraço são suficientes para cultivar legumes ou ervas aromáticas, com a vantagem de não precisar de um grande investimento, de não requererem muito tempo de manutenção e de serem um hobby perfeito para quem gosta de mexer na terra.

E ainda a vai fazer poupar nas compras. Na hora de escolher o que cultivar, Teresa Chambel aconselha a optar «pelo que mais gosta de comer ou o que tem mais dificuldade de arranjar no supermercado». A também autora do livro «Um jardim dentro de casa», publicado por A Esfera dos Livros, tirou-nos todas as dúvidas sobre o tema. Por isso, depois de ler este artigo, só tem de se munir das ferramentas essenciais e colocar, literalmente, as mãos na terra.

O espaço necessário

Para fazer uma horta na varanda ou num terraço, basta ter disponível um metro quadrado. Com este espaço já consegue cultivar muitas plantas, pois pode usar um mesmo vaso para colocar várias, optar por floreiras verticais ou cestos suspensos.

A profundidade dos canteiros

No caso das aromáticas, como a salsa, os coentros, o cebolinho, a erva-cidreira, os poejos e o manjericão, entre outras, à semelhança de hortícolas, como o espinafre, a rúcula, os canónigos ou as alfaces, bastam 20 a 30 centímetros de profundidade. As plantas com raízes mais profundas, como o tomateiro, o pimento, o piripiri, a curgete e as couves precisam de, pelo menos, 40 centímetros.

A melhor divisão

Numa varanda ou num terraço, não se justifica a divisão em parcelas, pois como o espaço é pouco, temos de o aproveitar o melhor possível. Deve, sim, ter o cuidado de não colocar plantas antagónicas junto umas das outras.

O que cultivar

Se tiver sol direto, pelo menos, cinco horas por dia, pode cultivar de tudo um pouco, desde hortícolas de folha, como o alface, o espinafre, a rúcula, couves várias, o tomate, o pimento, a curgete, o piripiri, o pepino, as ervilhas e as favas, bem como todas as aromáticas e pequenos frutos, como morangos, framboesas e maracujás. Se não tiver sol direto, não consegue cultivar hortícolas de fruto, como o tomate e pimento. O ideal é que produza quantidades com as quais consiga confecionar uma refeição.

Tipos de solo

Vai precisar de um tipo de substrato próprio para hortícolas ou de um substrato universal enriquecido com húmus de minhoca, pois as plantas hortícolas necessitam de muita matéria orgânica por estarem constantemente a ser solicitadas para produzir.

Veja na página seguinte: Outros cuidados a ter em conta

Comentários