Guia prático de janeiro

Alguns dos cuidados das flores que tem em casa podem passar pelo exterior. Veja o que deve fazer pelas suas plantas de interior no primeiro mês do ano

Um dos seus primeiros prazeres do ano poderá ser encher de cor alguns cantinhos com azáleas chegadas do viveiro. São baratas e pode colocar várias em locais distintos ou concentrá-las em vasos e cestos. Os cuidados a ter com as flores nesta altura não se fica, contudo, por aqui, pelo que existem outras tarefas a empreender. Estes são alguns dos trabalhos que deve incluir na sua lista de prioridades para as primeiras semanas do ano:

- O tipo de rega necessário

Algumas plantas como as begónias devem ser regadas por baixo e manter sempre determinada humidade. Esse cuidado reveste-se de maior importância, sobretudo quando estão em flor. Evite, por isso, os charcos e a água em demasia. A humidade habitual desta época não exige a mesma hidratação que noutras épocas.

- O que deve adubar

O húmus de minhocas é o adubo mais forte e utiliza-se em pequenas doses, de preferência em recipientes que não suportam muito substrato novo. Trata-se de um adubo indicado para o terraço a partir de agora.

- O que necessita de poda

A Ficus benjamina não para de crescer, emitindo rebentos terminais. Embora estejamos em pleno inverno, deve fazer um ligeiro desbaste de cinco a seis folhas por rebento.

- Tratamentos a fazer

A cochonilha é uma praga que ataca diversas plantas. Faça tratamentos com algodão empapado em álcool de genebra rebaixado.

Flores da época

É tempo da clívia, da azálea e do alóe vera:

- Clívia
Do centro do miolo sai um rebento grosso que culmina num corimbo de flores laranja em forma de sino ou tubolares.

- Azálea
A paleta de cores das azáleas vai do branco ao vermelho, passando pelo rosa. Escolha as cores que mais lhe agradam para decorar a sala de estar.

- Áloe vera
Até abril, altura em que pode levar a planta para o terraço, o áloe decora a casa com a sua forma característica e o seu porte exótico, que evoca o mar.

artigo do parceiro:

Comentários