Como fazer sementeiras caseiras

Existem várias formas de potenciar o poder germinativo de uma semente. Saiba quais são as melhores formas de o conseguir e veja como deve proceder

Esta é uma das atividades mais antigas do homem. Entusiasma os aficionados da jardinagem e da horticultura e, com o fenómeno das hortas urbanas, tem vindo a recuperar terreno nos últimos anos. Considerando que adquirimos as sementes em bom estado fitossanitário e de conservação. Assim, é importante e indispensável verificar a data de validade dos pacotes de sementes que encontra à venda num número também ele crescente de superfícies comerciais.

O poder germinativo, muitas vezes indicado nos pacotes de sementes, representa a percentagem de sementes de um determinado lote que germinam e dão origem a boas plântulas, num período de tempo determinado. Por exemplo, 70% significa que em média em cada 100 sementes germinarão 70. Veja, de seguida, algumas recomendações a ter em conta antes de avançar para um projeto de sementeiras caseiras.

O que fazer para ter uma boa germinação?

Existem alguns truques, para aumentar o sucesso da germinação que não são mais do que entender o que se passa na natureza e como funciona uma semente.  As sementes, de um modo geral, beneficiam se passarem por processos semelhantes aos que ocorreriam na natureza, como seja o frio do inverno.

Também beneficiam se passarem por um processo semelhante ao de serem ingeridas por animais e passarem pelo seu trato gastrointestinal. Para que a taxa de germinação seja tão alta quanto possível é comum proceder-se a alguns tratamentos pré-germinativos, sendo estes uma tentativa de reproduzir circunstâncias semelhantes às que ocorrem na natureza.

3 tipos de tratamentos de pré-germinação caseiros

1. Escarificação

Consiste em raspar a casca da semente para que chegue ao interior mais rapidamente a humidade, luz e temperatura. A imersão em água/em ácido/em álcool/em fitoreguladores é um processo ao qual chamamos de colocar as sementes de molho.

2. Choque térmico

Provocar uma mudança de temperatura quer por frio, quer por calor.

3. Conjugação de tratamentos

O que melhor replica o que acontece na natureza. No caso de um pacote de sementes que, embora na validade, as sementes possam estar lá há muito tempo e estarem dormentes, uma vez que não passam pelo processo natural da alternância das estações do ano, devemos colocar o pacote no frigorífico por um período mínimo de uma semana para provocar o choque térmico pelo frio. Retiramos as sementes e colocamo-las em imersão 24/48 horas para incharem.

Assim, fazemos uma conjugação de tratamentos que irá facilitar o processo germinativo e imitamos o que aconteceria no ciclo natural da semente. Um outro exemplo muito conhecido é o de colocar de molho por 24 horas em água com vinagre ou água com vinho as sementes das cucurbitáceas (abóboras, pepinos e melancias, por exemplo).

De acordo com um ditado, antes de semear os melões têm de se embebedar. Estamos a imitar o processo de fermentação que ocorre no interior destes frutos quando não são abertos e se deixam de um ano para o outro. Para cada planta há que pensar como seria o seu meio natural de dispersão e época do ano e tentar através das técnicas anteriores ver quais as que melhor se adaptam.

Veja na página seguinte: As melhores alturas para semear

Comentários