As melhores posições sexuais para cada faixa etária

A agilidade e a experiência que se tem aos 20 anos são completamente distintas da que se tem aos 60 mas não é por isso que o sexo tem de ser forçosamente diferente. Siga as recomendações da sexóloga Vânia Beliz e tire (ainda) mais partido da sua sexualidade

Aos 20 anos

Quando a experiência é pouca, é arriscado recorrer ao coito interrompido em posições em que a mulher fica por cima, pois «pode dificultar a interrupção do ato e a retirada do pénis da vagina. É importante que a mulher experimente posições em que se pode tocar ou ser tocada, de forma a perceber o que dá prazer, ou seja, experimentar posições que permitam os preliminares», refere Vânia Beliz, sexóloga.

Entre os 30 e os 40 anos

«No relacionamento, com o avançar do tempo, a frequência sexual pode diminuir e a rotina instalar-se, havendo uma sexualidade mais diretiva, mais penetrativa e menos espaço para os preliminares ou para a estimulação atempada da parceira», descreve a sexóloga. Nesta altura, devem ser privilegiadas posições em que a mulher possa auto estimular-se.

A partir dos 50 anos

Com o envelhecimento e o aparecimento de alguns problemas de saúde devem ser procuradas posições que exijam menos esforço físico aos dois elementos do casal e que sejam, portanto, confortáveis. É o caso da posição de colher.

Texto: Sónia Ramalho com Vânia Beliz (sexóloga)

artigo do parceiro:

Comentários