Nova aplicação portuguesa ensina a meditar

App para telemóveis criada por professores de yoga e meditação é sucesso internacional

Chama-se A Mindfulness App e apresenta-se como uma ferramenta para ajudar as pessoas a aumentar a sua consciência na vida.

Gerida pelos professores de yoga e meditação Martin Wikfalk e Magnus Fridh com a colaboração da psicóloga e instrutora de mindfulness Carla Martins, esta nova aplicação para telemóveis pretende incutir nos utilizadores a importância de estar mindful.

Com esta app, que ocupa ou já ocupou o primeiro lugar nos tops de aplicações de saúde na Suécia, na Noruega, na Dinamarca, na Holanda, no Reino Unido, na Alemanha, na Irlanda, na Índia e na Suíça, pode escolher facilmente escolher o tipo de meditação que mais se adequa a si num determinado momento ou contexto ou até em função da sua localização. Se estiver no metro, no autocarro ou numa fila de uma repartição pública e tiver alguns minutos disponíveis, basta recorrer ao telemóvel para saber qual o tipo de exercícios mais adequados.

A aplicação permite-lhe ainda definir lembretes. Nas horas, os dias e/ou locais à escolha, receberá uma mensagem quando for altura de meditar. Durante o processo, pode ser guiado por uma voz ou meditar apenas em silêncio com as campainhas a tocar em diferentes alturas. Pode também definir a sua própria meditação com a duração que preferir.

As meditações que completar serão gravadas na secção de estatísticas da app para que possa ter a possibilidade de seguir o desenvolvimento da sua prática ao longo do tempo. «Através da Mindfulness App pode simplesmente telefonar a si próprio de tempos a tempos para verificar se está mesmo presente», refere a MindApps, a empresa criadora da aplicação, em comunicado.

«A Mindfulness App é uma excelente ferramenta para todos os que quiserem tornar-se mais presentes na sua vida, ambos para iniciados ou praticantes com mais experiência», asseguram ainda os seus responsáveis. Esta aplicação para smartphones está disponível na App Store da Apple e no Google Play do Google.

artigo do parceiro:

Comentários