"Estou cansado" é a desculpa dos homens quando não querem sexo

Estudo apresentado hoje no ISPA
O cansaço e o stress profissional são as principais razões para a falta de interesse sexual de mais de 10% dos homens portugueses, revela um estudo que vai ser apresentado hoje no ISPA - Instituto Universitário, em Lisboa.


O ‘Estudo transcultural sobre fatores associados ao interesse sexual masculino’ indica que 10,5% dos homens portugueses admitiram ter tido falta de apetite sexual por um período de pelo menos dois meses durante o último ano, sendo o cansaço e o stress profissional as principais causas, revela o jornal Público.

O estudo - coordenado pela psicóloga clínica e investigadora Ana Carvalheira, em parceria com os investigadores Aleksandar Štulhofer, da Universidade de Zagreb, na Croácia, e Bente Træen, da Universidade de Olso, na Noruega - contou com uma amostra de 5255 homens de três países: 2863 portugueses, 1735 croatas e 657 noruegueses, numa média de idades que rondou a casa dos 30 anos.

Segundo Ana Carvalheira, coordenadora do estudo, esta amostra não é representativa da população mas deu importantes pistas para a conclusão do relatório.

Questionados sobre as razões a que atribuem a perda do interesse, a resposta "cansaço" foi dada por 50,8% dos inquiridos portugueses e o "stress profissional" por 49,4%. Os homens com mais de 60 anos foram os que reportaram menos problemas (10%), seguidos dos homens com 18 a 29 anos (16,7%). O grupo mais afetado tem idades compreendidas entre os 30 e os 39 anos (24,1%), seguindo-se os homens com 40 a 49 anos (21,5%) e os com 50 a 59 anos (21,4%).

No entanto, outras razões foram apontadas para a falta de interesse sexual. Portugal registou números mais elevados de insatisfação no que diz respeito ao parceiro ser sexualmente passivo (27,7%). Mais de 14% dos inquiridos atribuíram a “culpa” ao facto de estarem há muito tempo com a mesma parceira.


A coordenadora do estudo referiu ao jornal Público que o relatório traz um outro dado interessante: 11,8% dos inquiridos portugueses acreditam que o facto de verem muita pornografia pode estar a reduzir o interesse sexual, e 15% destacaram a masturbação.



14 de janeiro de 2013

Comentários