Ainda o Dia da Mãe

Ser mãe é ser sublime. Sublime e feliz nesta missão de amar eternamente

Aconteceu com os dois. Quando perdiam a chupeta e começavam a reclamar, eu colocava-a de novo e pensava: "Não tarda muito já vais conseguir procurá-la e acertar com ela na boca!"

Creio que uma das coisas que mais aprecio neste "ofício" da maternidade, é acompanhar-lhes e fomentar-lhes a evolução; é presenciar o seu encantamento perante cada nova descoberta do mundo exterior e das suas próprias capacidades.

Adoro recordar o passado, deliciar-me com o presente e imaginar-lhes o futuro. Até aqui maravilhei-me com mil coisas, em particular com as suas reações aos estímulos que ajudei a proporcionar: a primeira colherada de papa, o primeiro banho de mar, a primeira caracolada, andar de avião, visitar o museu de história natural e por aí fora. 

Agora encanto-me com o desenvolvimento das suas personalidades tão diferentes, que me surpreendem a cada novo dia. O humor, a sensibilidade e a pontualidade britânica de um, a contrastar com a sedutora e anárquica personalidade do outro, fazem-me perceber que cada ser é muito mais do que a soma da educação e dos genes. O que vão fazer com os seus futuros nem me atrevo a imaginar, mas sei que continuarei com a mesma atitude fundamental de os amar sem posse enquanto lhes fomento, de todas as maneiras possíveis, a outra maior dádiva que uma mãe pode entregar: ensiná-los a voar, livres e independentes.

Quero que saibam pensar por si mesmos, que sejam curiosos e entusiastas da vida; quero que saibam distinguir o bem do mal, façam as suas escolhas e aceitem as consequências; quero que conheçam o Mundo e saibam deixar nele as suas marcas; quero que sejam camaleónicos seres, capazes de se adaptar a tudo e todos, mas sabendo manter acesa a chama da própria essência; quero que se encantem para sempre consigo mesmos pois só assim saberão ser felizes...

Ser mãe é ser sublime. Sublime e feliz nesta missão de amar eternamente, com as mãos abertas  de quem lhes prepara as asas.

Não posso terminar sem te agradecer a ti, mãe, por sempre teres sido exatamente o tipo de mãe que também eu me esforço por ser.

A todas as outras, o meu beijo sorridente.

Ana Amorim Dias
Biografia

artigo do parceiro: Ana Amorim Dias

Comentários